• 02
    OUT

    Canta para mim mamãe! Naquela manhã de maio, Nina acordou um pouco desanimada, não queria sair da cama, queria passar o dia debaixo da coberta. Sua mãe já havia lhe chamado para o desjejum, mas ela não deu importância ao chamado, não estava disposta. - Nina! Venha logo, você vai se atrasar para a aula e eu para o trabalho. – Falo ...

    Canta para mim mamãe!

     

    Naquela manhã de maio, Nina acordou um pouco desanimada, não queria sair da cama, queria passar o dia debaixo da coberta. Sua mãe já havia lhe chamado para o desjejum, mas ela não deu importância ao chamado, não estava disposta.

     

    - Nina! Venha logo, você vai se atrasar para a aula e eu para o trabalho. – Falou a mãe.

     

    Mas Nina não tinha forças para falar e da cama não saiu.

     

    Sua mãe já preocupada com o atraso da filha, correu para o quarto dela e estranhou em vê-la ainda deitada na cama.

     

    - Mas filha, o que aconteceu com você hoje que ainda não levantou dessa cama?

     

    - Não sei mamãe, ela respondeu, não estou me sentido bem.

     

    A mãe tocou a testa da filha e se espantou!

     

      - Nossa Nina, você está muito quente! Vou ligar agora mesmo para o seu pediatra e pedir que ele receite algum remédio.

     

                Pouco tempo depois a mamãe chegou com o remédio, deu a Nina e falou:

     

      - Hoje você vai ficar de repouso em casa, vou ter que sair para trabalhar, mas sua avó está vindo ficar com você.

     

      - Tudo bem mamãe. – Nina falou.

     

    O dia passou, à noite, ao chegar em casa, a mamãe correu foi direto ao quarto para ver como Nina estava.

     

      - Ela não melhorou muito. – Falou a avó. Tomou os remédios que o pediatra receitou nos horários certos, porém, a febre não quer cessar.

     

                Nina estava dormindo, a mãe tocou no seu rostinho e sentiu que realmente a febre ainda estava muito alta. Ficou preocupada, e não saiu mais de perto da filha, velando seu soninho e rezando muito para que a febre passasse logo.

     

                Enquanto a mamãe estava ao seu lado, ela abriu os olhinhos e falou:

     

    - Canta para mim mamãe!

     

                Nina amava ouvir a mãe cantar para ela, era sua hora do dia favorita, pois todos os dias no caminho para a escola a mamãe cantava lindas canções e ela se sentia muito feliz.

     

      - Canto sim minha filha.

               

    Então ela começou a cantar belas canções que preenchiam o ambiente de alegria, amor e paz. A vó de Nina, ao ouvir a linda canção que vinha de seu quarto, parou o que estava fazendo e ficou na porta para ouvir e se encantar também.

     

                As canções vinham de forma espontânea e a mamãe cantou por muito tempo, foi lindo.

     

      - Mamãe, todo dia a senhora canta para mim, mas hoje foi surpreendente.

     

    - Nossa filha, pensei que você tivesse adormecido, espera, deixe-me ver se a febre cessou...

     

    - Passou sim mamãe, não sinto meu corpo mais quente como antes.

     

    - Que maravilha, passou mesmo!

     

    - Foram suas canções mamãe, elas me curaram.

     

    - Estou tão feliz em te ver bem minha filha querida.

     

    E as duas deram um enorme abraço.

     

                A vovó de Nina observava tudo da porta, emocionada, ela falou para si mesma: - Oração de mãe para um filho tem poder, e quando a mãe reza cantando, as bênçãos vêm em dobro. Feliz do filho que tem uma mãe que reza e canta por ele e para ele.

     

      - Posso entrar neste abraço? – Perguntou a vovó.

     

      - Claro que sim! – As duas falaram.

     

                E depois de tanto carinho, amor, atenção, oração e canção, a febre de Nina foi embora, para bem longe... e que não volte mais, nunca mais!

     

     

    MINÉIA PACHECO

    www.mineiapacheco.com.br

    Nossa missão é transmitir valores através de contos infantis.

     




    Avatar









    16
    JUL

      Num certo jardim todas as flores estavam eufóricas com o nascimento da rosa que ali ria habitar. A agitação das demais flores tinha um motivo, pois aquela rosa que logo nasceria não era uma rosa qualquer, ela era especial, muito especial... e todos esperavam por ela há tempos!   O jardim era lindo, repleto das mais belas flores e lá elas viviam ...

     
    Num certo jardim todas as flores estavam eufóricas com o nascimento da rosa que ali ria habitar. A agitação das demais flores tinha um motivo, pois aquela rosa que logo nasceria não era uma rosa qualquer, ela era especial, muito especial... e todos esperavam por ela há tempos!
     
    O jardim era lindo, repleto das mais belas flores e lá elas viviam felizes. Os pássaros voando a cantar, as borboletas de diversas cores sempre passam por lá, abelhas e caracóis também fizeram morada naquele jardim especial. Mas, no momento, o único assunto entre os habitantes daquele jardim, era sobre o nascimento da linda rosa que em breve aconteceria. A rosa era bem especial, pois naquele jardim existiam flores diversas, mas nenhuma rosa, ela seria a primeira e todos contavam as horas para enfim vê-la brotar ali. As demais flores falavam entre si eufóricas:
     
    - Nossa, essa rosa deve ser muito linda!
     
    - Ela vai deixar nosso jardim bem mais encantador.
     
    - Sempre sonhei em ver uma rosa por aqui, que maravilha!
     
                    Todo dia, assim que amanhecia, os moradores do jardim olhavam primeiramente para o botão da rosa esperando que enfim ela tivesse florescido, ficavam um pouco decepcionados ao perceberem que ainda não havia chegado o grande dia, mas a espera era deliciosa, no momento certo ela nasceria, disso eles tinham certeza!
     
                    Então, em um belo dia de sol, quando as nuvens branquinhas brilhavam no céu, a rosa floresceu, a rosa nasceu e seu perfume invadiu o jardim, a sua beleza encantou a todos e suas belas pétalas viraram pouso de lindas borboletas, a rosa enfim nasceu!
     
                    - Como és bela!
     
                    - Como és linda!
     
                    - Que perfume maravilhoso você exala!
     
                    Todos, sem exceção, elogiaram a rosa e ela se sentiu feliz em ter nascido naquele jardim repleto de lindas flores e de tanto amor. Até o sol ficou radiante ao ver que a rosa tinha nascido e como presente lhe enviou lindos raios brilhantes em sua direção, fazendo com que sua beleza se tornasse ainda mais perfeita.
     
                    E naquele jardim nada mais faltava, a rosa chegou para completar aquele lugar. Ela foi muita amada, foi muito esperada e fez amizade com todos.
     
                    E muitos pensavam que as demais flores iriam perder seus encantos, mas não, cada flor daquele jardim era especial e tinha um jeito único de ser e de tornar aquele jardim o mais especial de todos os jardins!
     

    Autora Minéia Pacheco
     
     
     



    Avatar









    09
    OUT

    Bento sempre quis ter um irmãozinho, pedia muito a sua mamãe, mas ela sempre falava:- Deus saberá a hora certa meu filho. O tempo passou, Bento foi crescendo e sua vontade de ter um irmãozinho só aumentando, ele queria muito ter alguém com quem pudesse brincar, abraçar, queria um irmãozinho para amar. A maioria dos seus amigos tinham irmãos e porque só ele não tinha?- Mamãe preciso mui ...




    Bento sempre quis ter um irmãozinho, pedia muito a sua mamãe, mas ela sempre falava:

    - Deus saberá a hora certa meu filho.

    O tempo passou, Bento foi crescendo e sua vontade de ter um irmãozinho só aumentando, ele queria muito ter alguém com quem pudesse brincar, abraçar, queria um irmãozinho para amar. A maioria dos seus amigos tinham irmãos e porque só ele não tinha?

    - Mamãe preciso muito de um irmãozinho, quando ele vai chegar?

    A mamãe também queria muito ter mais um filho, queria muito ter mais um ser para amar sem medidas, para encher de beijinhos e trazer mais alegria para aquele lar já tão feliz, mas nem tudo acontece como a gente quer, tudo é no tempo de Deus.

    - Você já pediu ao papai do céu um irmãozinho? – Perguntou a mãe a Bento.

    - Não! – Ele respondeu.

    - Pois peça meu filho, Deus gosta muito de ouvir as orações das crianças, Ele fica muito feliz e pensa com muito carinho nos pedidos que as crianças fazem a Ele.

    - Pois esta noite irei pedir a Deus com muito carinho um irmãozinho para mim.

    Quando a noite chegou... Já em seu quarto, Bento sentou na cama, rezou com muito carinho e com toda força em seu coração pediu que Deus o enviasse o irmãozinho e depois de rezar, adormeceu.

    Passaram-se alguns meses, Bento já nem falava mais em ter um irmão, pensava que este dia nunca iria chegar, mas numa certa noite, quando estavam reunidos na mesa na hora do jantar, seu pai e sua mãe lhe deram a melhor notícia de sua vida:

    - Bento, você vai ganhar um irmãozinho!

    Bento ficou muito feliz, pois seu tão desejado irmãozinho iria chegar, alguém com quem ele pudesse brincar, dividir seus brinquedos e principalmente alguém que ele iria amar demais.

    E quando os pais perguntavam:

    - Bento você quer ter um irmãozinho ou irmãzinha?

    Ele sempre falava:

    - Ah mamãe e papai, Deus que escolhe, o importante é que enfim vou ganhar um irmãozinho!

    E aqueles foram dias felizes, Bento já não se sentia sozinho, pois seu irmãozinho ou irmãzinha já estava a caminho...



    Autora: Minéia Pacheco




    O motivo da minha ausência nesses 2 meses e meio foi o que inspirou o conto de hoje.

    Estou grávida e muito feliz!

    Completando hoje 15 Semanas!


    E assim como o Bento do conto, o Bruninho aí está no céu, pois vai ganhar o tão sonhado irmãozinho ou irmãzinha!

    Aos pouquinhos irei voltando ao normal com as postagens no blog!

    Beijos em todos!



    Avatar












  • 16
    JUN

        Lipi era um sapinho de muita sorte, vivia em um belo lago com seus pais, irmãos e amigos. Ele era muito querido por todos!   Mas certo dia Lipi acordou um pouco triste e seu melhor amigo, o sapo José, percebeu sua tristeza e perguntou:   - Lipi, por que estás tão triste hoje?   - Sabe sapo José, tenho tudo que toda sapinho sonha em te ...

     
     
    Lipi era um sapinho de muita sorte, vivia em um belo lago com seus pais, irmãos e amigos. Ele era muito querido por todos!
     
    Mas certo dia Lipi acordou um pouco triste e seu melhor amigo, o sapo José, percebeu sua tristeza e perguntou:
     
    - Lipi, por que estás tão triste hoje?
     
    - Sabe sapo José, tenho tudo que toda sapinho sonha em ter, mas hoje isso não mais me alegra, quero conhecer outros lugares, outros sapos, as coisas aqui já não me fazem mais feliz!
     
    - Mas Lipi, você vive em um lago que é o mais lindo de toda região com águas cristalinas, sem poluição. Você tem uma família linda que faz tudo por você, e amigos que te amam de verdade, o que mais pode te faltar?
     
    - Não sei, mas algo me falta e eu vou procurar! Não conte a ninguém, mas hoje quando a noite chegar e todos forem dormir eu irei fugir e descobrir onde está a verdadeira felicidade.
     
    - Não faça isso, você vai se arrepender!
     
    - Não vou não...
     
    E assim fez o sapinho Lipi, quando todos estavam dormindo, ele saiu de fininho e foi a procura da felicidade... Andou várias horas, já cansado resolveu parar, encontrou um pequeno lago e resolveu lá descansar, sentiu um cheirinho ruim, mas estava tão cansado que nem ligou.
     
    O dia amanheceu e Lipi acordou, percebeu que o lago em que adormeceu estava cheio de lixo e por isso o mal cheiro, era um lago poluído.
     
    Mas não se preocupou, andou durante todo o dia e quando já estava anoitecendo encontrou outro lago e nele percebeu que tinham alguns sapinhos, tentou conversar com eles, mas não quiseram saber de nenhum sapo novo no lago deles e o mandaram sair ligeiro de lá.
     
    Lipi pensou em seus amigos, o quanto eles elas solidários com sapos novos que chegavam no lago, esses que ele havia encontrado eram muito mal educados.
     
    Andou um bom tempo, já estava muito escuro e encontrou outro lago,  a água desse também tinha um cheiro ruim e pensou:
     
    - Nossa, não encontro lago com águas tão limpas como o da minha casa.
     
    Acordou cedo e continuou caminhando, já estava cansado, se sentindo só, encontrou outros sapos, mas nenhum quis fazer amizade com ele, encontrou outros lagos e nenhum chegava nem perto do que ele tinha deixado para trás e quando já havia se passado quase um mês que havia fugido de casa, parou e pensou:
     
    - Fugi de casa para encontrar a felicidade, para encontrar coisas melhores do que eu tinha, mas não consegui. Nada se compara as coisas que deixei para trás, só agora percebo que minha verdadeira felicidade está lá, ao lado da minha família, dos meus irmãos, dos meus amigos e do meu lago limpinho. Vou voltar agora mesmo para meu lar.
     
    Lipi saiu pulando de alegria, enfim descobriu onde se encontrava sua verdadeira felicidade.
     
    Já havia passado quase dois meses desde que Lipi tinha fugido e quando ele chegou todos receberam ele com muitos abraços, beijos e alegria.
     
    - Aprendi uma grande lição durante este tempo que estive fora de casa,  muitas vezes só passamos a dar valor quando perdendo algo, tive que passar dois meses fora, sofrendo, sendo ignorado para descobrir que minha verdadeira felicidade está aqui, com vocês! Nunca mais quero fugir, nunca mais sairei daqui!
     
    E seus pais, irmãos e amigos lhe deram um forte abraço e todos juntos pularam do lago, aquele seria um dia de muita diversão e não teria hora para terminar, pois Lipi havia voltado para nunca mais fugir!
     
     

    Autora Minéia Pacheco



    Avatar









    16
    FEV

    Ana Clara andava triste pelos cantos da casa, desde que seu irmãozinho nasceu sua mamãe só tinha tempo para ele, e ela não estava gostando nada disso. Sempre que pedia para a mamãe lhe ajudar a comer, a mãe logo falava: - Tenho que dar a comida ao seu irmão, coma sozinha, pois você já sabe e seu irmão não. Sempre que ...

    Fonte da imagem AQUI!
     
    Ana Clara andava triste pelos cantos da casa, desde que seu irmãozinho nasceu sua mamãe só tinha tempo para ele, e ela não estava gostando nada disso.
     
    Sempre que pedia para a mamãe lhe ajudar a comer, a mãe logo falava:
     
     - Tenho que dar a comida ao seu irmão, coma sozinha, pois você já sabe e seu irmão não.
     
    Sempre que pedia para a mamãe ajuda-la a tomar banho, a mãe logo falava:
     
    - Não posso agora, tenho que dar banho no seu irmão.
     
    Sempre que pedia para sua mamãe brincar com ela, a mãe logo falava:
     
    - Não posso, seu irmãozinho tem que dormir.
     
    Ela sempre sonhou em ter um irmãozinho, mas depois que ele nasceu sua vida havia se tornado um pesadelo, e por isso, Ana Clara mudou de comportamento. Não era mais a garotinha doce, delicada e sorridente de antes. Por qualquer coisa chorava, fazia birra e gritava. E diante de seu atual comportamento sua mãe resolveu conversar com ela.
     
    - Filha, o que está havendo com você?
     
    - Não quero mais um irmãozinho!
     
    - Não fale isso filha, você era louquinha para ter um irmãozinho, por que isso agora?
     
    - A senhora só tem tempo para ele agora. E eu? Onde fico nessa história? Ninguém tem tempo para mim.
     
    - Mas filha, seu irmãozinho é um bebezinho, não sabe falar, comer, ir ao banheiro, não sabe fazer nada sozinho e eu tenho que ajuda-lo, assim como ajudei você quando era pequenina também.
     
    - Mas eu também preciso da senhora, dos seus carinhos.
     
    - Sei que ando sem tempo de estar com você filha, mas isso não quer dizer que eu te ame menos, amo os dois igualmente, o problema é que neste momento seu irmãozinho esta precisando mais de mim do que você. Tive uma ideia!
     
    -Qual?
     
    - Você vai me ajudar a cuidar do seu irmãozinho, só assim entenderás tudo que te falo.
     
    E daquele dia em diante Ana Clara também começou a ajudar a mamãe e passou mais tempo com seu irmãozinho. Colocava-o para dormir, dava mamadeira, trocava roupinha... E ela foi descobrindo que cuidar de um bebezinho realmente não era nada fácil e tomava muito tempo.
     
    - Sabe mamãe agora compreendo o quanto é difícil tomar conta de um bebezinho e o quanto ele toma nosso tempo, me desculpe por ter sido tão egoísta e mimada.
     
    - Que bom que você compreendeu filha, mas também quero te pedir desculpas por não ter te dado a atenção que você merece, vou tentar estar mais presente.
     
    - Obrigada mamãe, agora me deixe coloca-lo para dormir. Ele é tão indefeso, é tão pequenino, é tão lindo e nunca mais falarei que não queria um irmãozinho, pois ele foi o melhor presente que a senhora e o papai já me deram.
     
    - Que lindo filha, tenho certeza que quando ele crescer vocês serão grandes amigos.
     
    - Com certeza mamãe. Agora, não conte a ele desse ciúme bobo que tive, certo?
     
    (risos)
     
    - Claro que não, esse será nosso segredinho.
     
    - Obrigada mamãe!
     
    - Te Amo filha!
     

    Autora: Minéia Pacheco



    Avatar









    04
    OUT

        Ah! Enfim chegou o final de semana e mais uma vez irei a fazenda do vovô. Amo ir, pois me divirto, me sinto livre, feliz e fico pertinho dos animais que existem por lá. Queria poder morar na fazenda com meu vovô, poder passar mais dias felizes assim, mas a mamãe já falou que não se acostuma com a calmaria da fazenda e que eu tirasse essa ideia ...

     
     
    Ah! Enfim chegou o final de semana e mais uma vez irei a fazenda do vovô. Amo ir, pois me divirto, me sinto livre, feliz e fico pertinho dos animais que existem por lá. Queria poder morar na fazenda com meu vovô, poder passar mais dias felizes assim, mas a mamãe já falou que não se acostuma com a calmaria da fazenda e que eu tirasse essa ideia da cabeça.
     
    Certo fim de semana, enquanto estava na fazenda tocando minha corneta, criei uma melodia tão linda, mas tão linda que alguns dos animais chegaram mais perto de mim para ouvir a canção. Não pensava que animais gostavam de música, mas eles gostam sim. E por isso, todo fim de semana quando vou para a fazenda do vovô levo minha corneta para tocar para eles, e é tão bom!
     
    - Nossa filho, que linda canção. – Falou minha mãe certo dia.
     
    - Fiz essa canção para meus amigos da fazenda. – Falei.
     
    - Ela é muito linda, quem são seus amigos?
     
    - Não estás vendo mamãe?
     
    - Não!
     
    - São todos esses animais. Toda vez que começo a tocar eles chegam pertinho de mim para ouvir a canção.
     
    - Verdade filho?
     
    - Sério mamãe! Também fiquei surpreso no início, mas agora já estou acostumado com minha plateia.
     
    - Que lindo filho, não sabia que animais gostavam de música.
     
    - Nem eu, mas eles gostam sim. Os animais tem muita coisa para nos ensinar.
     
    - Verdade filho, agora entendo sua felicidade quando vem para a fazenda do vovô, realmente o que você vive aqui é algo mágico.
     
    - Sinto um pedacinho do céu quando estou aqui.
     
    - Eu sei filho, e também estou sentindo. Sei que você é louquinho para vim morar na casa do vovô, mas vou te confessar uma coisinha... A fazenda do vovô é especial assim porque só estamos aqui nos finais de semana, se morássemos aqui ela perderia a graça, pode acreditar!
     
    Depois que a mamãe me falou isso, enfim compreendi que as coisas quando caem na rotina perdem um pouco o encanto e eu realmente não quero perder a alegria de vim para a fazenda do vovô, tá bom do jeitinho que está, pois quando o final de semana vai se aproximando, meu coração já vai acelerando e minha corneta já começa a tocar.
     
    Na fazenda do vovô me sinto feliz, e meus finais de semana se tornam hiper especiais!
     
     
       Minéia Pacheco
     
     
     
    Dicas para nossos pequenos nesta Semana das Crianças!
     


     
     
    ATENÇÃO: Os eventos Monster High – Draculaura tem em várias cidades de SP.
    A oficina de Bexiga em Campinas, SP e a contação de histórias na cidade de São Paulo mesmo.
     
    Aproveitem as dicas e levem as crianças para se divertirem e ouvirem muitas histórias!
     
    ... Beijos...



    Avatar












  • 04
    FEV

      Matheus estava assistindo seu desenho favorito quando sua mãe chegou perto dele, se agachou e falou baixinho:   - Filhinho sua vovozinha virou uma linda estrelinha lá no céu.   Ao ouvir o que a mãe falava, Matheus tirou os olhos na televisão, olhou sério para ela e falou:   - Você está brincando né?   A m&atil ...


     
    Matheus estava assistindo seu desenho favorito quando sua mãe chegou perto dele, se agachou e falou baixinho:
     
    - Filhinho sua vovozinha virou uma linda estrelinha lá no céu.
     
    Ao ouvir o que a mãe falava, Matheus tirou os olhos na televisão, olhou sério para ela e falou:
     
    - Você está brincando né?
     
    A mãe ficou até surpresa, pois não pensava que seu filho, com apenas 4 aninhos teria uma reação tão rápida assim e respondeu:
     
    - Verdade filho, ela foi morar no céu.
     
    - Nunca mais irei vê-la? - Ele perguntou.
     
    - Infelizmente não filhinho.
     
    Matheus ficou muito triste, esqueceu até do seu programa favorito que passava na televisão, a mãe encheu os olhos de lágrimas e juntos se abraçaram, ele quis chorar e até umas lágrimas rolaram de seus olhos. Depois de um tempo abraçados, ele a soltou e falou:
     
    - Mamãe, porque ela virou uma estrelinha lá no céu?
     
    - Ah filhinho, ela estava muito dodói e Deus resolveu leva-la para perto Dele, para que Ele pudesse cuidar melhor dela.
     
    - Vou sentir muita saudade mamãe.
     
    - E eu também filho.
     
    Já à noitinha, o céu estava escuro e a estrelinhas brilhando sem parar. Matheus olhou para a mamãe e perguntou:
     
    - Se eu mandar um beijo para a vovó ela recebe lá no céu?
     
    - Claro que sim filho e ela ficará muito feliz!
     
    E em meio a um belo pulo, Matheus manda um imenso beijo para o céu e grita:
     
    - Oi vovó estou com saudades!!!
     
    E no céu, uma linda estrelinha pisca para ele. Com certeza a vovó ficou feliz, com certeza a vovó agora está feliz... E em seu coração fica a eterna saudade e as lindas lembranças de seu belo sorriso!
     
     
     
     
     
     
     
     
     



    Avatar









    27
    NOV

    AQUI Nas férias que estão para chegar, já falei para o papai e a mamãe que quero viajar. Amo viajar nas férias, pois é quando fico mais pertinho dos meus pais e tudo é motivo de alegria. Não temos tarefas para fazer, não temos escola para ir, são dias que passamos livres, um do ladinho do outro... É tão bom! P ...


    Fonte da imagem AQUI
     
     
     
    Nas férias que estão para chegar, já falei para o papai e a mamãe que quero viajar. Amo viajar nas férias, pois é quando fico mais pertinho dos meus pais e tudo é motivo de alegria. Não temos tarefas para fazer, não temos escola para ir, são dias que passamos livres, um do ladinho do outro... É tão bom!
     
    Porém, mamãe foi logo falando:
     
    - Viagem de férias só se passar por média!
     
    Como assim passar por média? Não é fácil não! Fiquei chateado ao ouvir isso, cheguei na escola e conversei sobre isso com meu amigo Fabrício, e ele logo falou:
     
    - Também pedi para viajar nas férias para meus pais, e eles falaram a mesma coisa!
     
    Porque todos os pais são iguais?!
     
    Porque todas as famílias são iguais?!
     
    Conheço bem minha mãe e sei que ela estava falando sério, muito sério! Então, para poder merecer a viagem em família irei dar o melhor de mim neste último bimestre, confesso que minhas notas em matemática não andam muito bem, mas ainda tenho chance de passar por média se estudar muito, e é o que farei!
     
    Então, vou lá!
     
    Não posso perder mais tempo!
     
    Depois volto para contar como foram minhas férias, pois por enquanto, só me resta estudar muito para poder passar de ano por média para enfim... Viajar com minha família!
     
    Alguém duvida se irei conseguir?
     
     
    Autora Minéia Pacheco 



    Avatar









    08
    OUT

      - Filho, o dia das crianças já está chegando e até agora você não nos falou o que deseja ganhar. - Falou a mãe.   - Verdade filho, nos fale para comprarmos logo. - Falou o pai.   - Vou pensar em algo! - Falou Adriel.   - Pense rápido, pois à noite quando voltarmos para casa queremos saber! - Falou o pai.   - T ...


     
    - Filho, o dia das crianças já está chegando e até agora você não nos falou o que deseja ganhar. - Falou a mãe.
     
    - Verdade filho, nos fale para comprarmos logo. - Falou o pai.
     
    - Vou pensar em algo! - Falou Adriel.
     
    - Pense rápido, pois à noite quando voltarmos para casa queremos saber! - Falou o pai.
     
    - Tudo bem. - Falou Adriel.
     
    Os pais saíram, como fazem todo dia e Adriel ficou num cantinho pensando:
     
    - O que quero ganhar no dia das crianças?
     
    Foi à cozinha conversar com Carminha, a ajudante da casa. Carminha para Adriel, era considerada como alguém da família, pois desde que ele era bebezinho ela cuidava dele quando os pais saiam para trabalhar. Os tempos não mudaram, os pais continuavam saindo logo cedo para trabalhar e voltando tarde da noite. Mas, ele nunca reclamou, pois seus pais apesar da ausência, sempre faziam seu gosto lhe dando tudo que pedia.
     
    - Carminha, o que peço de presente pelo dia das crianças aos meus pais?
     
    - Não sei Adriel, é muito difícil dá algum presente para quem já tem tudo!
     
    - Verdade, tenho tudo mesmo...
     
    - Estou percebendo você um pouco triste. O que ouve?
     
    - É que eu tenho tudo que toda criança gostaria de ter e não sou feliz, por quê?
     
    - Talvez porque a verdadeira felicidade não esteja nas coisas. Você sente falta de algo?
     
    - Claro, gostaria de ter mais carinho dos meus pais. Eles são legais, me dão tudo que peço, mas não me dão beijos, abraços... Sinto muita falta disso!
     
    - Então descobrimos o que você está precisando ganhar... Beijos e abraços dos pais! Diga a eles hoje à noite quando eles voltarem do trabalho.
     
    - Direi!
     
    À noite, quando os pais de Adriel chegaram, ele correu ao encontro deles e disse que já sabia o que queria ganhar no dia das crianças.
     
    - Certo filho, mas primeiro vamos jantar que estamos com fome. - Falou a mãe.
     
    Depois do jantar, Adriel tentou falar com os pais:
     
    - Posso falar agora?
     
    - Calma filho, me deixe assistir o jornal primeiro. - Falou o pai.
     
    E o tempo foi passando, Adriel já estava cansado de esperar e resolveu ir dormir. 
     
    Quando já estava subindo as escadas para ir ao quarto, o pai o chamou:
     
    - Vem filho, estamos prontos para ouvir! - Falou a mãe.
     
    - Bem, neste dia das crianças o que quero ganhar de vocês é muitos beijos e abraços!
     
    Os pais se entreolharam:
     
    - Que brincadeira é essa? - Falou o pai.
     
    - Não é brincadeira papai, é verdade. Quero muito ganhar beijos e abraços de vocês. Hoje conversando com Carminha percebi que tenho tudo que toda criança sempre sonhou, mas não sou feliz. Essas coisas, só elas, não trazem felicidade, preciso do carinho, atenção e amor de vocês também. E preciso que vocês demonstrem isso não me dando presentes e mais presentes, e sim, com beijos, abraços e frases tipo EU TE AMO. Preciso disso neste dia das crianças, preciso disso durante toda minha vida!
     
    Neste momento, os pais de Adriel não conseguiram mais esconder as lágrimas e choraram muito, abraçaram o filho e lhe pediram desculpas, muitas desculpas. Eles pensavam que lhe enchendo de presentes, poderiam disfarçar a ausência, e que tudo ficaria bem, porém nada é mais importante que uma demonstração de carinho, um beijo carinhoso, um abraço apertado e um sincero EU TE AMO, essas são coisas que dinheiro nenhum compra e que quanto mais se dá, mais amor em troca terá!
     
    Então, a partir daquele dia, Adriel era a criança mais abraçada, beijada, e amada do mundo e quando perguntavam se agora ele era feliz, ele respondia:
     
    - Agora descobrir onde a verdadeira felicidade se encontra!
     
     
     
    Autora Minéia Pacheco
     
     
     



    Avatar












  • 17
    SET

      - Oi Deus! estou precisando conversar com o Senhor.   - Oi minha querida criança, o que anda te afligindo?   - Nada não Deus, é que a mamãe e o papai sempre estão falando com o Senhor por aqui, então resolvi ter uma conversa também.   - Estou muito feliz em poder conversar com você, sempre que uma crian&cced ...

     

    - Oi Deus! estou precisando conversar com o Senhor.

     

    - Oi minha querida criança, o que anda te afligindo?

     

    - Nada não Deus, é que a mamãe e o papai sempre estão falando com o Senhor por aqui, então resolvi ter uma conversa também.

     

    - Estou muito feliz em poder conversar com você, sempre que uma criança me procura me sinto muito feliz, amo ouvir as crianças. Conte-me sobre sua vida, você gosta dela?

     

    - Claro que sim Deus, amo minha vida, amo meus pais, eles são os melhores pais do mundo e fazem de tudo para me ver feliz!

     

    - Que bom, fico feliz em saber.

     

    - Eles sempre falam que tem que cuidar muito bem de mim, pois sou um presente que o Senhor deu a eles. É verdade Deus? O Senhor me deu para eles?

     

    - Sim! pequena menina. Presenteei seus pais com você e eles estão fazendo por merecer meu presente, pois estão te tratando com muito cuidado. Que bom seria se todos os pais fizessem por merecer meu presente para eles.

     

    - Fico feliz em saber que sou um presente de Deus para meus pais. Posso te abraçar?

     

    - Claro que sim!

     

    - Quero te abraçar e te dizer muito obrigada por ter me presenteado aos melhores pais que uma garotinha como eu poderia ter.

     

    - Não precisa agradecer, tudo tem um por quê.

     

    - Tenho que ir agora Deus, gostei da nossa conversa e sempre voltarei para conversarmos mais, posso?

     

    - Claro que sim, sempre estarei aqui te esperando... Sempre estarei pronto para conversar com você, sempre!

     

    Deus olhou a pequena menina indo ao encontro dos seus pais e pensou:

     

     – Como seria bom que mais pais falassem de mim para seus filhos, falassem de mim em casa, pois assim receberia mais visitas maravilhosas como essas. Minhas pequenas crianças me enchem de alegria!

     

     

     

    Autora Minéia Pacheco

     




    Avatar









    30
    JUL

          Ele estava ansioso, esperava por esse momento há muito tempo. Iria começar sua rotina escolar, conhecer novas pessoas, fazer novos amigos, aprender muito e brincar bastante. Já estava com seus 4 aninhos, estava se sentindo um pouco atrasado e sempre perguntava a sua mãe quando começaria a estudar. Mas ela sempre dava alguma desculpa: &nbs ...


     
     
     

    Ele estava ansioso, esperava por esse momento há muito tempo. Iria começar sua rotina escolar, conhecer novas pessoas, fazer novos amigos, aprender muito e brincar bastante. Já estava com seus 4 aninhos, estava se sentindo um pouco atrasado e sempre perguntava a sua mãe quando começaria a estudar. Mas ela sempre dava alguma desculpa:

     

    - Espere o tempo certo!

     

    Enfim, o tempo havia chegado, faltavam poucos minutos para ir à escola pela primeira vez.


    A cada minuto que passava seu pequeno coração acelerava cada vez mais; não estava nervoso, estava feliz, muito feliz! Como seria sua classe? Como seriam seus amigos e professores? E enquanto estava perdido em seus pensamentos, sua mãe lhe perguntou:

     

    - Filho, você realmente quer ir à escola hoje? Se você não estiver preparado poderemos tentar no início do ano que vem.

     

    Matheus deu um pulo e rapidamente falou:

     

    - Estou preparadíssimo e espero por esse momento há muito tempo, ir à escola é o que sempre quis! 

     

    Então sua mãe falou:

     

    - Mas filho, estava pensando que seria melhor deixarmos para o próximo ano!

     

    Matheus não acreditava no que ouvia, já estava todo arrumado, fardado, materiais escolares comprados e por que deixar para o próximo ano?

     

    - Não faça isso comigo mamãe, quero muito ir à escola, quero muito mesmo!

     

    E com um tom triste a mãe fala:

     

    - Tudo bem filho, esse dia tinha que chegar mesmo, não é?

     

    Enfim, foram à escola, ao chegar lá Matheus estava radiante de felicidade, foi a sua sala de aula, conheceu alguns colegas, conversou com a professora e a mãe ficou de longe o observando, era notável a alegria do seu filho em seu primeiro dia de aula, ela sabia que ele ficaria bem, então foi ao seu encontro, se despediu e saiu. Seu coração ficou apertado, pequenino dentro do peito, seu pequeno garotinho estava crescendo e isso ela não poderia evitar. Tentou o quanto pôde adiar esse dia, mas sabia que iria acontecer, não imaginava o quanto ficaria perdida sem ter a companhia do seu pequeno Matheus todas as tardes.

     

    -Não será fácil. – Falou ela.

     

    Na verdade, quem precisaria se adaptar a nova rotina era ela, pois o Matheus já estava mais do que adaptado na escola, entre os amigos e professores. Com o tempo ela se acostumaria, pois mãe fica feliz em ver o filho feliz... E felicidade era o nome de Matheus naquele dia!

     

    Autora Minéia Pacheco
     

     




    Avatar





    • Olá,

      Me envie seu e-mail que te mando alguns continhos!

      Agradeço o contato e visita ao blog!!

      Att, A autora.

      RESPOSTA





    • Oi Mineia adoro seu blog é muito interessante sou professora e gostaria muito de obter algumas historinhas suas principalmente essa do primeiro dia de aula de já agradeço.
      Suely Cunha.
      bjs.

      RESPOSTA





    • OIMinéia, normalmente são as mães que precisam se adaptar mais do que os filhos, né?
      Muito legal a historinha do primeiro dia de aula do Matheus.
      beijos
      Chris
      http://inventandocomamamae.blogspot.com/

      RESPOSTA





    • Oi Minéia!
      Uma bela estória que mostra que nem sempre a insegurança é das crianças.
      Realmente muitas vezes os pais é que ficam inseguros com os filhos.
      Muito bom!
      Um feliz dia dos pais para ti e um ótimo fim de semana.
      abração com carinho

      RESPOSTA





    • Oi moça linda! Saudades de ti...

      Pois é, vejo isso todo inicio de ano, as mamães sofrem mais que os pequenos, digo sempre que elas precisam de mais atenção dos professores, que devem acalmá-las e conversar sobre os projetos pedagógigos que serão trabalhados, sobre as brincadeiras, enfim sobre todo o período que a criança ficará longe dela... Eu costumo fotografar as crianças em vários momentos do dia e mostro para as mães. Elas se derretem e vão ficando mais seguras.
      Lindo ver seu pequeno tão feliz indo para a escola. E ir com 4 anos eestá ótimo, antes disso só se você rrealmente não pudesse ficar com ele.

      Beijosssss e feliz de te ver de volta e estar de volta também.

      Su.

      RESPOSTA





    • Olá, também adorei meu primeiro dia de aula!!!
      Adorei a historia!!!
      Bjs do Neno

      RESPOSTA





    • Minéia, Pedro adorou a primeira semana de aula mas, depois chorou muito. Eu ficava com o coração doendo! Agora ele adora á escola!!
      Beijinho
      Pedro e Amara

      RESPOSTA





    • Mineia,como é bom quando eles chegam á escola assim,felizes e preparados!Tem razão; já vi muita mãe chorar no primeiro dia e a criança toda feliz!...rss...bjs,

      RESPOSTA





    • O primeiro dia de aula é inesquecível e emocionante, fica pra sempre!!beijos, de volta!chica

      RESPOSTA





    • Realmente a adaptação é mais difícil para a mãe. Meu filhovai iniciar a escola ano que vem, vive me pedindo para ir para a escola, está muito ansioso, até fala q eu vou levar e lá ele vai ficar sozinho com a prof. e os amigos. Pra mim será um momento de muita tensão, um medo enorme toma conta do meu coração mesmo sabendo com certeza que isso será maravilhso para ele. Sua história foi pra mim, me li nela. Obrigada.

      RESPOSTA









    26
    JUL

    Dona Salete era uma vovozinha maravilhosa e todos a amavam muito. Brincava com os netinhos, contava várias histórias para eles e fazia deliciosos bolinhos de cenoura. Todos gostavam demais! - Vovó faz bolinho de cenoura e nos conta mais uma história? – Falou Zezé. - Claro que sim Zezé. Vou fazer agora mesmo! Vovó Salete não ...



    Dona Salete era uma vovozinha maravilhosa e todos a amavam muito. Brincava com os netinhos, contava várias histórias para eles e fazia deliciosos bolinhos de cenoura. Todos gostavam demais!


    - Vovó faz bolinho de cenoura e nos conta mais uma história? – Falou Zezé.


    - Claro que sim Zezé. Vou fazer agora mesmo!


    Vovó Salete não conseguia falar NÃO aos seus netinhos, tudo que eles pediam ela fazia, poderia estar cansada, doente, mas nunca dizia NÃO para eles.


    Enquanto ela foi à cozinha, Laura, uma de suas netinhas, chamou os demais irmãos e falou:


    - Vocês sabem que hoje é o dia da vovó?


    - Não. – Todos responderam.


    - Já imaginava que vocês não tivessem lembrado, por isso passei em uma floricultura e comprei algumas flores para podermos presentear a vovó, ela ficará muito feliz!


    - Que ideia genial Laura, com certeza a vovó ficará muito feliz e ela merece MUITO essa nossa demonstração de carinho. – Falou René.


    - Também quero participar dessa festa posso? – Falou o papai.


    - E eu também! – Falou a mamãe. Afinal além de ótima avó ela é uma excelente mãe!


    Enquanto a vovó Salete terminava de fazer o bolo, todos se organizaram para homenageá-la. Quando enfim o bolo saiu do forno e ela foi a sala chamar Zezé para comer o bolo, ficou surpresa ao ver todos seus netinhos, seu genro e filha reunidos na sala, cada um segurando uma flor e falando ao mesmo tempo:


    - Um feliz dia da vovó a nossa querida vovó Salete!


    Seus olhos encheram-se de lágrimas, correu e abraçou cada um. Estava feliz... Muito feliz!


    - Minha maior alegria é ter vocês sempre por perto, muito obrigada!

     

    E você criança, já deu um super abraço e um maravilhoso beijo na sua vovó hoje?

     

    26 DE JULHO... DIA DA VOVÓ!

     

    Autora Minéia Pacheco

     




    Avatar












  • 29
    MAI

            Numa linda escola, em um lugar muito distante estudava Victor, um menino que não gostava de livros, isso mesmo, ele não gostava de ler histórias, ouvi-las e nem de ver as lindas ilustrações que eles tinham. Não vivia as incríveis aventuras que existiam nos livros. Todos seus amigos acham estranho e se perguntavam:   ...


     
     
     
     
    Numa linda escola, em um lugar muito distante estudava Victor, um menino que não gostava de livros, isso mesmo, ele não gostava de ler histórias, ouvi-las e nem de ver as lindas ilustrações que eles tinham. Não vivia as incríveis aventuras que existiam nos livros. Todos seus amigos acham estranho e se perguntavam:
     
    - Como é possível uma criança não gostar de livros?
     
    Todo dia na escola tinha a hora da leitura, enquanto seus amigos esperavam ansiosamente esse momento chegar, ele pedia para sair da sala, não queria ouvir nada. A professora respeita e não o obrigava a ficar.
     
    Porém, certo dia, ela resolveu ter uma conversa muito séria com Victor:
     
    - Victor, queria te fazer uma perguntinha.
     
    - Pode fazer professora.
     
    - Seus pais costumam ler livros em casa?
     
    - Não professora, eles não gostam de livros e sempre me falam que ler é uma grande chatice.
     
    A professora ficou horrorizada com a resposta de Victor. Havia descoberto o porquê da falta de interesse dele pelos livros, pois os filhos seguem o exemplo dos pais, e os pais de Victor eram um péssimo exemplo para ele.   
     
    Então ela teve uma brilhante ideia!
     
    - Victor, você alguma vez já abriu algum livro?
     
    - Não professora.
     
    - Então o que você acha de todos os dias nos encontrarmos aqui na sala dos professores para conhecermos melhor os livros, poderíamos ler alguns?
     
    - Não acho uma boa ideia.
     
    - Você só pode falar se gosta ou não de algo se conhecer, então, o que acha?
     
    - Não custa nada tentar! Quando começaremos?
     
    - Hoje mesmo...
     
    Então a professora correu para sua sala e pegou um de seus livros infantis, escolheu um que sempre fazia muito sucesso com as crianças, e começou a apresentar as ilustrações a Victor e leu um pedacinho da história, enquanto lia, percebeu o encantamento dele. Quando ela parou de ler, ele falou:
     
    - Nossa professora o que foi isso que vivi agora?
     
    - Você viveu uma incrível aventura ao ouvir essa história, e é isso que as histórias nos fazem viver, aventuras imaginárias incríveis!
     
    - Nossa professora, se todas as vezes que for ler sentir o que senti agora... Posso afirmar que AMO LIVROS!
     
    A professora não cabia em si de tanta felicidade, sua grande ideia havia dado certo.
     
    O tempo passou e Victor se tornou um de seus melhores leitores em sala de aula, toda semana pegava um livro novo na biblioteca da escola e essa sua paixão pela leitura contagiou até seus pais, que passaram a ler livros e mudaram de ideia não achando a leitura uma chatice e sim uma porta para grandes descobertas!
     
    E a vida de Victor passou de preto e branco para colorida, pois a leitura nos dá cor e alegria!
     
     
     
     
    Autora Minéia Pacheco

     




    Avatar









    15
    FEV

    Tomar banho não era uma das coisas que o Pateco gostava de fazer. Corria da água, da chuva, do lago. Água para ele só mesmo as desenhadas nos livros de histórias que sua mamãe sempre contava! Pateco tinha oito irmãos, todos amavam nadar no lago e lá tomar banho, mas ele ficava de longe a observar, não tinha nenhuma vontade de entr ...



    Tomar banho não era uma das coisas que o Pateco gostava de fazer. Corria da água, da chuva, do lago. Água para ele só mesmo as desenhadas nos livros de histórias que sua mamãe sempre contava!
     
    Pateco tinha oito irmãos, todos amavam nadar no lago e lá tomar banho, mas ele ficava de longe a observar, não tinha nenhuma vontade de entrar.
     
    Mas essa teimosia de não querer tomar banho já estava incomodando seus pais e irmãos, pois o Pateco já estava com um cheirinho horrível!
     
    Como pode alguém passar tanto tempo sem tomar banho?
     
    Não, não... Isso teria que mudar, e já!
     
    A mamãe Patolina falou:
     
    - Pateco, não podemos ficar sem tomar banho e sem fazer a higiene do nosso corpo.
     
    - Mamãe, o problema é que...
     
    Pateco iria falar algo, mas se calou. Então sua mãe insistiu:
     
    - Fale filho, qual é o problema? Quem sabe não posso te ajudar?!
     
    - Tenho vergonha do que vou dizer.
     
    - Não se envergonhe de falar as coisas para mim, sou sua mãe e sempre vou querer seu bem!
     
    - O problema é que tenho medo de água!
     
    - Medo de água?!
     
    - Isso mesmo, lembra quando eu era bem pequenininho e não sabia nadar muito bem, quase me afoguei no rio?
     
    - Lembro sim, aquele foi um dia de muito sufoco para todos nós, mas ainda bem que tudo no fim deu certo, seu papai mergulhou e te salvou!
     
    - Verdade, mas depois desse dia nunca mais quis saber de água novamente!
     
    - Pateco nós não iremos superar nossos medos fugindo deles. Aquele realmente foi um dia muito difícil para você, mas tenho uma ideia, que tal começarmos a perder esse medo de água com um delicioso banho de bacia?
     
    - Mas mamãe...
     
    - Vai ser muito bom, sei que você ficou com trauma da água naquele dia, mas tenho certeza que de pouco em pouco você irá perder seu medo. E o primeiro passo será o banho de bacia!
     
    - Não tenho coragem!
     
    - Você não sente vontade de participar das brincadeiras com seus irmãos no lago?
     
    - Tenho sim!
     
    - Vamos superar tudo isso... A banheira já está te esperando!
     
    E Pateco foi, sem muita coragem, sem muita certeza, mas foi... Foi tentar superar seu medo de infância, ele tomou seu primeiro banho de bacia e gostou, gostou muito!
     
    O medo ainda não tinha passado totalmente, não estava preparado (ainda) para entrar no lago, mas o primeiro passo já tinha sido dado. Aprendeu duas grandes coisas naquele dia, de que devemos sempre enfrentar nossos medos e que, mais que isso, devemos sempre ter alguém especial do nosso lado que nos ajude a superá-lo.
     
    E com um enorme abraço na mamãe ele disse OBRIGADO!
     

    Autora Minéia Pacheco

     




    Avatar





    • O máximo! Adorei..

      RESPOSTA





    • Olá amiga querida!
      Saudades... Estou a aproveitar esta paragem de Carnaval pra visitar os amigos e desejar um Bom Carnaval!
      Tem selinho para vc lá no meu blog!!
      Este é o link do mimo:
      http://dl.dropbox.com/u/2444571/Meu%20Blog/2012/feliz%20carnaval_mimo.gif
      Ofereço com maior carinho!
      um grande beijinho e um bom inicio de semana!
      Joana Neves
      http://joana-neves.blogspot.com
      http://mylovelyrecursos.blogspot.com/

      RESPOSTA





    • adorei sua historianha do pato com medo. Eu tenho medo de agua tambe´m eu até gosto mas tem que ser razinho se nao eu to fora

      seu blog ta na minha indicasao da semana. beijos

      RESPOSTA





    • Oi Minéia, adorei a visita!!!
      E linda historia!!!
      Adorei!!!!
      Bjs do Neno

      RESPOSTA





    • linda historinha, muito boa para Pedro, ele tem medo de chuva e trovão!
      Bela mensagem.
      Com carinho,
      Pedro e Amara

      RESPOSTA





    • Que amor de historinha! Com muito talento, você consegue inserir vida e doçura em todas as suas criações.
      Que Deus a inspire sempre mais!
      Com muito carinho,
      Angela

      Ficarei contente com sua doce presneça em meus cantin hos também.

      RESPOSTA





    • Mineia,mas que fofinho esse Pateco!Suas histórias sempre lindas,criativas e com excelente msg!Bjs,

      RESPOSTA





    • Minéia querida! Que historinha ótima, a analogia é perfeita. Nada como enfrentar o medo, mesmo que seja muito dificil, mas enfrenta-lo com alguém que confiamos ao nosso lado é melhor ainda.

      Adorei esse historinha, boa pra mim... e com certeza vou contar pras crianças na escola. Eles sempre tem um "medinho" de alguma coisa... Sabe que o ano passado tive um aluno que tinha muito medo, mas muito mesmo, dos "barulhos" da escola, bastava um barulho diferente, ele perdia até a cor, e perguntva na hora: que foi isso professora?

      Beijos moça querida e lindo dia por aí.
      Su.

      RESPOSTA





    • Mensagem certa e maravilhosa... Desde cedo os medos devem ser enfrentados e com a ajuda de quem nos ama, muito melhor. Adorei!

      beijos,lindo dia,chica

      RESPOSTA





    • Muito boa sua história! Perder o medo à s vezes é muito difícil,principalmente para as crianças depois de um trauma. Um texto desse pode dar uma força nessa hora! Beijos!

      RESPOSTA









    30
    DEZ

    - Ruy, o que tanto você faz trancado nesse quarto? – Perguntou sua irmã Ruth. - Não possa falar ainda, é segredo! - Mamãe já está preocupada com você! - No momento certo todos vocês saberão o que tanto faço dentro do quarto. Os dias passaram e Ruy continuava trancado em seu quarto... - Meu filho, o que está ...

    - Ruy, o que tanto você faz trancado nesse quarto? – Perguntou sua irmã Ruth.

    - Não possa falar ainda, é segredo!

    - Mamãe já está preocupada com você!

    - No momento certo todos vocês saberão o que tanto faço dentro do quarto.

    Os dias passaram e Ruy continuava trancado em seu quarto...

    - Meu filho, o que está havendo? Por que você não sai mais desse quarto?

    - Estou construindo algo que irá mudar nossas vidas para sempre!

    - Mas, quando terminará?

    - Breve, muito breve!

    No mesmo dia, logo mais a noite, enquanto todos estavam reunidos jantando, Ruy chegou com uma enorme máquina e disse:

    - Essa é minha grande invenção!

    Todos se entreolharam e Ruth perguntou:

    - E que invenção é essa?

    - Essa é uma máquina dos desejos! Tudo que vocês desejarem ela pode realizar...

    - Nossa filho, que incrível! – Falou o pai.

    - Então já vou fazer um pedido para mim, amei sua invenção filho. – Falou a mãe.

    - Antes que vocês comecem a fazer seus pedidos, tenho algo para falar sobre ela. A máquina dos desejos não é igual as demais, ela tem uma coisinha muito especial...

    - E o que é? – Perguntou Ruth.

    - Ela não realiza desejos individuais, desejos egoístas. Ela foi programada para realizar apenas os desejos daqueles que querem o bem para o mundo.

    - Filho, que incrível! – Falou a mãe.

    - Por isso passei tanto tempo para sair do quarto, queria algo especial e consegui!Na virada do ano irei colocá-la no centro da nossa cidade, com essas informações e as pessoas poderão fazer desejos pensando no próximo e assim o novo ano será bem mais feliz e solidário!

    - Nossa Ruy, que ideia maravilhosa, você está fazendo algo muito especial pelo mundo. – Falou a irmã.

    - Estou apenas fazendo minha parte...

    - Mas se cada um pensasse assim como você, o mundo seria bem melhor. – Falou a mãe.

    - Essa será minha contribuição para um novo ano mais feliz!

    - Estamos esperando o quê? Vamos agora mesmo levar essa máquina dos desejos ao centro da cidade e fazer muitas pessoas começar o ano pensando no próximo e fazendo uns aos outros muito felizes!

    - É o que desejo papai...



    Autora Minéia Pacheco
     



    Avatar












  • 23
    DEZ

      Este ano será diferente, tudo dará certo! Mamãe está feliz, pois o pequeno Lucas já está enorme e crescendo forte com um touro. Joaquim passou de ano, mamãe e papai ficaram felizes que só vendo e eu sou a irmã mais velha, o exemplo para os pequenos, papai e mamãe têm muito orgulho de mim, sempre passo por mé ...




     


    Este ano será diferente, tudo dará certo! Mamãe está feliz, pois o pequeno Lucas já está enorme e crescendo forte com um touro. Joaquim passou de ano, mamãe e papai ficaram felizes que só vendo e eu sou a irmã mais velha, o exemplo para os pequenos, papai e mamãe têm muito orgulho de mim, sempre passo por média na escola, estou sempre lendo algum livro e cuido dos meus irmãos quando a mamãe ou o papai estão ocupados. Somos uma família muito feliz!

    Porém, no Natal do ano passado as coisas não estavam tão perfeitas assim, mamãe estava no hospital com fortes dores para ter o Lucas, papai corria atrás de um emprego e o Joaquim tinha sido reprovado na escola. Nada dava certo, e aquele foi um dos piores natais que já presenciei. Tive que ficar com a mamãe no hospital, ela não podia ficar sozinha. E vi muita coisa feia lá dentro, mas também vi muitos bebezinhos lindos nascendo naquela noite de 25 de dezembro. Na verdade, ver aqueles bebezinhos ali naquele quarto de hospital, foi o que fez com que minha noite, minha querida noite de Natal, não fosse tão triste assim. O Lucas nasceu dois dias depois da noite de Natal, lindo e forte. Foi uma grande alegria para todos!

    Mas este ano tudo dará certo, compramos nossa enorme árvore de Natal, como sempre sonhei e desejei, a enfeitamos com lindas bolinhas, laços, estrelas e colocamos um lindo pisca-pisca vermelho. Papai está num ótimo emprego e mamãe pôde preparar uma deliciosa ceia natalina. Até convidamos o vovô e a vovó para passarem a noite aqui conosco. Tudo está tão bonito, tudo está tão cheio de paz! E antes que eu vá para a sala me reunir com minha família, quero deixar registrado aqui neste diário, o meu sincero e profundo desejo de que TODAS as crianças possam ter uma noite de natal perfeita, assim como estou tendo. E principalmente, que essa noite, para elas, seja repleta de paz e muito Amor!

     


    Autora Minéia Pacheco
     





    Avatar





    • Oi Minéia,
      espero que tenha sido uma linda noite! Desejo ainda um Ano Novo ainda melhor para todos vocês!
      Beijos
      Chris
      http://inventandocomamamae.blogspot.com/

      RESPOSTA





    • Mi, passando pra agradecer suas lições tao especiais e desejar um 2012 lindo...

      nos veremos n'e? rs

      BEijos e tudibom pra vc e pra familia!

      Michele

      RESPOSTA





    • Oi amiga. Fecho o ano com muitas realizações na minha vida e por último tenho agora uma internet com vergonha. Volto com força e principalmente agora acompanho os meus amigos e amigas de blog. Desejo muita alegria, paz e união neste ano que vai iniciar em nossas vidas. Essa música é linda na sua postagem. Não conhecia é linda. Feliz 2012

      RESPOSTA





    • Olá Minéia...
      Lindo post...Adorei...Amei seu blogger...
      " Feliz Natal e um maravilhoso Ano Novo "
      Beijos!
      San.... ♥

      RESPOSTA