• 12
    FEV

    Nova série no blog: UM CONTO PARA CADA LETRA DO ALFABETO! (: depositphotos) Amigos Alberto gosta muito dos seus amigos, brinca bastante com Amanda, Aline, Aderbale Armando. Eles se divertem muito e a brincadeira favorita da turma é amarelinha. Já cansado de tanto brincar de amarelinha, Alberto resolveu fazer algodiferente. Chamou todos seus amigospa ...

    Nova série no blog: UM CONTO PARA CADA LETRA DO ALFABETO!
     
     
     
    (Fonte da imagem: depositphotos)
     
    Amigos
     
     
    Alberto gosta muito dos seus amigos, brinca bastante com Amanda, Aline, Aderbale Armando. Eles se divertem muito e a brincadeira favorita da turma é amarelinha
     
    Já cansado de tanto brincar de amarelinha, Alberto resolveu fazer algodiferente. Chamou todos seus amigospara esquecerem a amarelinha e irem visitar o zoológico da cidade. Todos amarama ideia e juntos foram fazer esse passeio diferente. Chegando lá, logo se encantaram com todos os animais. A arara, o avestruz e a anta foram os primeiros animais que a turma viu. Enquanto caminhavam observaram algumasabelhas voando e uma aranhaenorme subindo na árvore. Andaram mais um pouco e encontraram uma linda águia, ficaram encantados com a beleza daquela ave. Ficaram surpresos ao ver um Alce por lá, acharam lindo e tiraram muitas fotos daquele animal.
     
    O passeio estava chegando ao fim, mas a alegria maior havia ficado para o final, pois um grupo de artistasestava se apresentando no zoológico, os amigos participaram das apresentações e ganharam brindes no final, Alberto ganhou um Avião de brinquedo, Amanda ganhou um lindo anel, Aline um abajur, Aderbal um incrível apito e Armando um apontador azul.
     
    Ao chegarem em suas casas, estavam felizes, alegres e repletos de lembranças boas para  guardarem para sempre no coração. Adormeceram e sonharam com tudo que havia vivido naquele parque. Aprenderam que sempre é bom conhecer algo novo. Continuariam a gostar de brincar de amarelinha, mas haviam decidido que sempre iriam atrás de algo novo.
     
     
    Autora: Minéia Pacheco
     
     
     
     
    Sugestões de como trabalhar este conto com as crianças que estão em fase de alfabetização:
     
    1.    Pedir para que as crianças circulem todas as palavras que comecem com a vogal a.
     
    2.    Pedir que as crianças escrevam e ilustrem as palavras que comecem com a vogal a.
     
    3.    Pedir que escrevam pequenas frases com as palavras encontradas.
     
    Existem diversas formas de se trabalhar com este conto, é só usar a imaginação, a criatividade e criar lindos trabalhos com as crianças.
     
     
     

     

    Boa sorte!
     



    Avatar









    25
    MAI

      Juca, o beija-flor, era o mais feliz de todos os pássaros, vivia sempre feliz a voar e a pousar de flor em flor.   - Ei Juca, por que você é tão feliz? – Perguntou outro passarinho.   - É tão simples ser feliz meu caro amigo. – Ele respondeu.   - Não acho fácil ser feliz, tento ser, mas não consigo.&nbs ...

     
    Juca, o beija-flor, era o mais feliz de todos os pássaros, vivia sempre feliz a voar e a pousar de flor em flor.
     
    - Ei Juca, por que você é tão feliz? – Perguntou outro passarinho.
     
    - É tão simples ser feliz meu caro amigo. – Ele respondeu.
     
    - Não acho fácil ser feliz, tento ser, mas não consigo. 
     
    - Eu me sinto feliz ao acordar, me sinto feliz ao voar, me sinto feliz quando encontro uma bela flor, me sinto feliz em dias de sol e também em dias de chuva.
     
    - Nossa você é sempre feliz assim?
     
    - Claro, a vida fica mais feliz quando encontramos a felicidade em todas as coisas, em todos os momentos, em todos os lugares.
     
    - Sou ao contrário de você, sempre me sinto muito triste. Sou um simples passarinho, sem muita beleza, não vejo graça no dia, não vejo graça na noite, não gosto de dias de sol e muito menos de dias de chuva. Como faço para encontrar essa tal felicidade?
     
    - É simples, acorde amanhã e diga: “- Só por hoje encontrarei a felicidade nas pequenas coisas!” Faça esse teste em apenas um dia e você verá como sua vida vai mudar.
     
    - Certo Juca, vou fazer isso...
     
    No outro dia o passarinho acordou, estava um dia muito cinzento e iria chover a qualquer momento.
     
    E ele falou:
     
    - Nossa que dia lindo está fazendo hoje. 
     
    Ele começou a voar e a chuva começou a cair...
     
    - Pingos de chuva são realmente algo maravilhoso, como é bom senti-lo.
     
    O dia foi passando e o passarinho continuou a olhar seu dia com um olhar mais positivo, com mais alegria, ao fim do dia encontrou o beija-flor.
     
    - Querido amigo, estou me sentindo tão leve, tão bem, será isso a felicidade? – Perguntou o passarinho.
     
    - Pode ter certeza que sim, a felicidade é muito fácil de ser sentida, basta querer.
     
    - Pois quero sentir isso todos os dias.
     
    - Então todos os dias acorde assim, olhando sempre o lado bom da vida. Assim como faço! Até em momentos difíceis é fácil tirar algo para ser feliz, basta querer e assim sempre será!
     
    - Amei este sentimento e quero sempre senti-lo, tristeza nunca mais terá espaço em mim, pois a felicidade veio para ficar!
     
    E os dois saíram voando, felizes, pois a felicidade para se ter basta realmente querer!
     
     

    Autora Minéia Pacheco
     



    Avatar









    26
    AGO

    Imagem encontrada no Google-Imagens No alto da montanha existia uma casa enorme, linda, porém abandonada. Na cidade que existia ao redor dessa montanha todos que lá viviam tinham medo de irem até esta casa, pois os boatos que se ouviam é que ela era abandona e assombrada por um fantasma horrível e por isso ninguém se atrevia a ir até lá. U ...

    Imagem encontrada no Google-Imagens
     
     
    No alto da montanha existia uma casa enorme, linda, porém abandonada. Na cidade que existia ao redor dessa montanha todos que lá viviam tinham medo de irem até esta casa, pois os boatos que se ouviam é que ela era abandona e assombrada por um fantasma horrível e por isso ninguém se atrevia a ir até lá.
     
    Uili, o fantasminha que lá vivia sabia de todos esses boatos e ficava muito triste, pois ele não era um fantasma horrível e muito menos assustador, tudo que ele queria era conhecer novas pessoas e fazer amigos, as pessoas tinham mania de julgar sem conhecer e ele só queria uma chance para mostrar que era legal, mas as pessoas não lhe davam oportunidade, por isso, ele aprendeu a viver sozinho na casa abandonada no alto da montanha.
     
    Certo dia, chegou à cidade um grupo de crianças que estavam fazendo uma excursão por lá, um pequeno grupo sem saber dos boatos sobre a casa abandonada no alto da montanha, resolveram subir e conhecer a casa. Entraram sem bater e começaram a observar toda a casa, Uili estava dormindo e acordou assustado ouvindo vozes de crianças pela casa.
     
    - O quê!? Não acredito! Tenho visitas!! - Ele falou.
     
    Uili saiu voando entre as paredes e encontrou o grupo de crianças, sem pensar duas vezes foi logo falando:
     
    - Oi amigos, que bom ver vocês aqui!
     
    As crianças ao verem um fantasma na casa voando e falando com eles, tiveram um gigantesco susto e começaram a gritar e a correr sem parar. Uili também se assustou e também tentou fugir, mas desistiu, pois nunca havia recebido visitas antes e tentaria acalmar aquelas crianças.
     
    - Não tenham medo e fiquem calmas, pois não farei mal algum a vocês, sou um fantasma legal e tudo que quero é fazer novos amigos!
     
    Mas as crianças não conseguiram ouvi-lo, estavam assustadas demais e louquinhas para sair daquela casa o mais rápido possível. Uili sabia que suas palavras não iriam adiantar de nada e sua reação no momento foi de chorar, então começou a chorar, chorar muito e alto. As crianças ao ouvirem os choros do fantasma pararam de gritar e ficaram surpresas, pois nunca tinham ouvido a história de que fantasmas choravam. Até que uma teve coragem e falou:
     
    - Por que estás chorando fantasma?
     
    - Porque todos têm medo de mim, nunca ninguém me visitou, não tenho amigos e estou cansado de viver sozinho. Não sou um fantasma ruim, sou legal e tudo que quero é brincar, conversar e fazer as pessoas felizes.
     
    As crianças ficaram surpresas com tudo que Uili falou e tiveram até pena dele, perceberam que não tinham mais medo dele, o acharam muito legal e começaram a fazer perguntas:
     
    - Qual seu nome?
     
    - Uili.
     
    -Quanto tempo você vive aqui?
     
    - Uns 150 anos.
     
    As perguntas foram surgindo e Uili as respondia com muita alegria, em poucos minutos ele conquistou aquelas crianças, ele agora tinha amigos!
     
    Foram brincar, brincaram muito de várias coisas e quando já estava na hora das crianças voltarem Uili se sentiu triste, pois não sabia quando iria vê-las novamente e não queria ficar só mais uma vez. As crianças prometeram voltar logo e partiram. Já estava anoitecendo e Uili resolveu ir dormir, na manhã seguinte ele acordou novamente com o barulho de crianças pela casa, levantou num pulo e pensou:
     
    - Meus amigos já voltaram!
     
    Voou pela casa ao encontro das crianças e quando chegou perto do grupo percebeu que não eram seus amigos, eram outras crianças e uma delas foi logo falando:
     
    - Olá fantasminha Uili, ficamos sabendo que um grupo de crianças estive aqui ontem e nos falaram muito bem de você, queremos ser seus amigos também. Podemos brincar?
     
    Uili ficou muito feliz, pois enfim seu sonho havia se realizado, estavam falando a verdade sobre ele e agora ele poderia ter amigos de verdade todos os dias em sua casa.
     
    - É claro meus amigos, vamos brincar muito!
     
    Não devemos julgar as pessoas sem antes conhecê-las, pois até um fantasminha pode ser um ótimo parceiro de brincadeira se a gente conhecer bem antes de julgar!
     
     

    Autora: Minéia Pacheco



    Avatar












  • 08
    JUL

       AQUI!         Carlinhos contava as horas para ficar de férias e assim poder ficar mais tempo com seu melhor amigo, seu cachorro Tom. Já tinha tudo organizado, iriam brincar muito, passear, ir à praia... Fazer tudo isso juntinhos.   - Nada melhor do que passar as férias com meu melhor amigo, meu cachorrinho Tom. - Falava Carlinhos. ...

     
    Fonte da imagem AQUI!
     
     
     
     
    Carlinhos contava as horas para ficar de férias e assim poder ficar mais tempo com seu melhor amigo, seu cachorro Tom. Já tinha tudo organizado, iriam brincar muito, passear, ir à praia... Fazer tudo isso juntinhos.
     
    - Nada melhor do que passar as férias com meu melhor amigo, meu cachorrinho Tom. - Falava Carlinhos.
     
    E enfim elas chegaram, Carlinhos estava de férias, chegou em casa eufórico louquinho para brincar com seu melhor amigo, mas antes de chegar perto de Tom seu pai lhe chamou:
     
    - Carlinhos venha aqui!
     
    - Oi papai.
     
    - Eu e sua mãe temos uma surpresa para você! 
     
    - Qual é papai?
     
    - Essas férias serão diferentes, pois também estou de férias e vamos todos viajar!
     
    - O quê?
     
    - Isso mesmo que você ouviu vamos viajar de avião, curtir muito nossas merecidas férias.
     
    - E meu melhor amigo Tom?
     
    - Não se preocupe eu e sua mãe já pensamos em tudo, ele ficará com sua tia Karina enquanto estivermos fora.
     
    - Mas papai, já tinha programado minhas férias ao lado de Tom. Não quero me separar dele.
     
    - Filho serão algumas semanas, logo vocês estarão juntos novamente.
     
    Carlinhos foi ao encontro de Tom para se despedirem:
     
    - Meu amigão, infelizmente meus planos foram por água abaixo, mas não fique triste, pois logo estarei de volta e iremos brincar muito juntinhos... Eu prometo!
     
    E então Carlinhos partiu e Tom foi para a casa da tia Karina.
     
    Passaram-se três semanas e enfim Carlinhos voltou, com uma enorme saudade de Tom, correu para casa da sua tia e o encontrou tristinho num canto da casa e perguntou:
     
    - Tia o que houve com ele?
     
    - Desde que você viajou ele ficou tristinho pelos cantos, mal comeu, não quis saber se passear comigo e muito menos de brincar, sempre desanimado pelos cantos.
     
    - Ah, meu amigão, eu voltei, voltei para brincar muito com você... Anime-se!
     
    E como num passe de mágica Tom deu um forte latino e lambeu seu grande amigo. Toda tristeza havia passado, pois seu amigo estava de volta!
     
    A tia ficou olhando admirada, que linda amizade eles tinham... Quanto amor!
     
    Ainda faltavam duas semanas para as aulas de Carlinhos recomeçarem, e ele aproveitou ao máximo a companhia de seu amigão, brincaram muito e fizeram valer a pena cada minutinho juntos.
     
    E nunca mais Carlinhos se separou de Tom, viajavam juntos e tudo que faziam eram juntos, tristeza nunca mais surgiu entre eles... E a amizade a cada dia crescia mais!
     
    E quem disse que entre um garotinho e um lindo cachorrinho não pode existir amizade verdadeira?
     
    É claro que existe! A mais verdadeira, a mais pura!
     
     
     

    Autora Minéia Pacheco



    Avatar









    18
    FEV

       AQUI!       O tigre Teobaldo andava muito tristinho ultimamente, não caçava mais, não corria mais. Ficava apenas sentado de cabeça baixa!   O que estava acontecendo com ele?   Uma borboletinha que passava por ali viu o triste tigre e perguntou:   - O que ouve tigre?   Porém ele nada falou!   Algum tempo depois ...


     
    Fonte da imagem AQUI!
     
     
     
    O tigre Teobaldo andava muito tristinho ultimamente, não caçava mais, não corria mais. Ficava apenas sentado de cabeça baixa!
     
    O que estava acontecendo com ele?
     
    Uma borboletinha que passava por ali viu o triste tigre e perguntou:
     
    - O que ouve tigre?
     
    Porém ele nada falou!
     
    Algum tempo depois passou uma joaninha e perguntou:
     
    - Porque estas triste tigrezinho?
     
    E mais uma vez ele nada falou.
     
    E assim passaram vários outros animais que falavam com o tigre Teobaldo e ele a nenhum respondia.
     
    De longe, uma coruja tudo observava e voou para um galho próximo ao tigre e ficou lá, caladinha ao lado dele, sem nada perguntar.
     
    O Teobaldo já estava perturbado com aquela coruja perto dele, o olhando sem nada falar e depois de muito tempo, olhou para a coruja e perguntou:
     
    - Não vai falar nada?
     
    - Claro que não!
     
    - Por quê?
     
    - Porque iria perguntar algo, se você não responde a ninguém?
     
    - E por que está parada aí me olhando?
     
    - É porque acho muito triste a vida de alguém sem amigos.
     
    - E quem te disse que não tenho amigos?
     
    - Não precisa dizer, pois uma pessoa sem amigos é reconhecida a distância!
     
    - Para que servem os amigos?
     
    - Para tantas coisas Teobaldo, mas principalmente para nos livrar da solidão.
     
    - E quem te disse que sou só?
     
    - Ninguém, mas sei que és.
     
    - Como?
     
    - Pois o pouco tempo que fiquei te observando vi que a solidão anda com você, por isso és tão triste assim.
     
    - Não sei fazer amigos.
     
    - Mas não se aprende a fazer amigos, a amizade acontece sem que possamos perceber.
     
    - Então confesso que preciso de um amigo.
     
    - Você já tem um.
     
    - Quem?
     
    - Eu Teobaldo, você me aceita como amiga?
     
    - Claro que sim!
     
    E como um toque de mágica, Teobaldo passou a fazer tudo que não fazia há tempos, correr, caçar... Tinha feito uma linda amizade, já não estava sozinho, já não se sentia triste.  Passou a conversar mais e fazer sempre novas amizades, a sábia corujinha havia aberto um mundo até pouco tempo atrás desconhecido para o tigre Teobaldo, o mundo das amizades, o mundo da felicidade!




    Avatar









    18
    OUT

          Quem diria que entre tantos seres que existem no fundo do mar, uma baleia iria ficar amiga justamente de um minúsculo peixinho. Quer saber como essa grande amizade começou? Então preste muita atenção no que vou te contar!   A baleia Teia estava nadando normalmente nas profundezas do mar, quando ouviu uns gritos fininhos, vindo de algum l ...

     
     
     
    Quem diria que entre tantos seres que existem no fundo do mar, uma baleia iria ficar amiga justamente de um minúsculo peixinho. Quer saber como essa grande amizade começou? Então preste muita atenção no que vou te contar!
     
    A baleia Teia estava nadando normalmente nas profundezas do mar, quando ouviu uns gritos fininhos, vindo de algum lugar perto dali. Quanto mais ela nadava, mais os gritos ficavam fortes. Teia tentou seguir o barulho, mas estava muito difícil, quase impossível, saber de onde vinham. Se fosse outro ser aquático já teria desistido, mas Teia não era de desistir tão fácil e não sossegou enquanto não descobriu de onde vinham os gritos fininhos.
     
    Nadou, nadou... Tinha horas que os gritos ficavam mais fortes e depois enfraquecia, percebia algumas vezes que os gritos estavam próximos e outros, longe. Passou a olhar as plantas aquáticas com mais cuidado, com mais atenção, até que, em uma das plantas aquáticas, ela observou um pequenino peixinho com uma das nadadeiras presa nas algas, sem poder se mover, sem poder nadar. O pequeno peixinho já estava fraquinho de tanto gritar.
     
    - Que bom que enfim alguém me achou, você pode me soltar daqui? – Falou Juca, o peixinho.
     
    - Claro que sim, foi difícil te encontrar, mas estou muito feliz por que meu esforço e perseverança valeram a pena, te achei e vou te salvar!
     
    - Não sei o que seria de mim se não fosse você. Será que posso te chamar de amiga?
     
    - Claro que sim, ficaria muito feliz em ter um amigo como você!
     
    Então a baleia Teia mordeu a alga para o peixinho Juca poder se soltar, quando mordeu e enfim ele se livrou, Teia sentiu que algo ficou preso entre seus enormes dentes e começou a sentir muita dor. Juca logo falou:
     
    - Teia me deixa entrar na sua boca e saber o que aconteceu?
     
    Teia sentia tanta dor, que nem conseguiu falar, apenas abriu a boca e Juca como era muito corajoso, entrou. 
     
    E dentro da boca dela ele procurou e encontrou o problema...
     
    - Teia, tem uma alga entre seus dentes, deve ser isto que esteja causando toda essa dor, vou tirar...
     
    E com muito esforço, Juca tirou a alga que estava entre os dentes dela. Imediatamente ela sentiu um grande alívio e ficou muito feliz por ver que seu novo amigo, apesar de tão pequenino, pôde ajuda-la.
     
    - Obrigada Juca, você é um amigo maravilhoso.
     
    - Sabe Teia, acho melhor de hoje em diante nunca mais nos separarmos, pois percebo que apesar da diferença de tamanho, somos perfeitos um para o outro.
     
    - Concordo com você Juca, de hoje em diante seremos inseparáveis meu amigo.
     
    E foi desse jeitinho que a amizade nasceu entre eles, eram diferentes, mas completavam um ao outro. E uma amizade verdadeira é inexplicável, ela simplesmente acontece...
     
     
     
    Autora Minéia Pacheco
     
     
     



    Avatar
















    Copiar essas ideias sem a permissão do autor é crime, pois isso configura uma forma de roubo e roubar ideias é plágio, e plágio é crime. Art. 184 – Código Penal

    © Copyright 2017 - Minéia pacheco. Todos os direitos reservados. O conteúdo deste site não pode ser reproduzido, distribuído, transmitido, ou usado, exceto com a permissão prévia por escritor.