• 16
    OUT

      O dia estava lindo, céu azul, clima agradável, tudo perfeito para ser a melhor partida de futebol dos últimos tempos.   Bruno, João e Pedro já estavam no campo, treinando, se aquecendo, aquele seria um grande dia.   - Será que hoje conseguimos ganhar da equipe adversária? – Perguntou Bruno.   - Espero que sim, foram 3 ...

    Fonte da imagem AQUI!
     
    O dia estava lindo, céu azul, clima agradável, tudo perfeito para ser a melhor partida de futebol dos últimos tempos.
     
    Bruno, João e Pedro já estavam no campo, treinando, se aquecendo, aquele seria um grande dia.
     
    - Será que hoje conseguimos ganhar da equipe adversária? – Perguntou Bruno.
     
    - Espero que sim, foram 3 derrotas seguidas com essa equipe, não vou aguentar mais uma. – Falou Pedro.
     
    - Calma amigos, vamos dar nosso melhor, praticamos bastante, o importante é competir. – Falou João.
     
    - Ah! não aguento mais essa sua conversinha de “o importante é competir” João. Eu quero ganhar, cansei de perder para essa equipe. – Falou Bruno.
     
    - Eu também Bruno, hoje quero ganhar! – Falou Pedro bem eufórico.
     
    - Então amigos, vamos parar de conversinhas e nos aquecer, a outra equipe já esta chegando. – Falou João.
     
    Os amigos começaram a correr pelo campo se aquecendo, mantendo o foco e a concentração, logo o jogo iria começar e tinha tudo para ser um jogaço.
     
    Os pais estavam nas arquibancadas gritando e encorajando a equipe, faltavam poucos minutos para o juiz apitar o início da partida.
     
    - É agora ou nunca! – Falou Bruno.
     
    - Foco e concentração equipe! – Gritou Pedro.
     
    - Que seja um jogo inesquecível. – Falou João.
     
    O juiz enfim apitou e o jogo começou...
     
    Um passe aqui, um drible ali, João toca para Pedro que toca para Bruno, mas antes de Bruno alcançar a bola, o jogador da equipe adversária consegue pegá-la, toca rapidamente para seu colega de equipe e em um chute certeiro faz o primeiro gol do jogo.
     
    Bruno e Pedro ficam inconsoláveis.
     
    - Não acredito que vamos perder novamente! – Eles falavam.
     
    - Calma amigos, o fogo apenas começou, não vamos perder o foco e a determinação, ainda podemos ganhar esse jogo!! – Encoraja João.
     
    O jogo recomeça...
     
    Os pais nas arquibancadas não param de gritar!
     
    O jogo está a mil...
     
    Fim do primeiro tempo, o jogo continua 1x0 para a equipe adversária.
     
    - Vamos lá pessoal, vamos dar nosso melhor neste segundo tempo, nós vamos ganhar esse jogo! – Fala João.
     
    - Vamos sim! – diz Pedro.
     
    - É agora ou nunca! – Fala Bruno entusiasmado.
     
    Começa o segundo tempo... Os garotos estão eufóricos!
     
    João dá um drible espetacular, passa a bola para Bruno que vê Pedro próximo ao gol e toca a bola para ele, Pedro desvia do adversário e dá um chute com toda sua força e a bola vai parar na rede da equipe adversária, um golaço!
     
    Os pais gritam eufóricos:
     
    - Goooooooooooooolll!!
     
    A adrenalina da equipe vai a mil, que jogo!
     
    - Vamos pessoal, concentração, foco, o jogo ainda não acabou. – Lembra João.
     
    A bola volta a rolar no gramado, a equipe adversária tem mais tempo com a bola, Pedro e Bruno começam a ficar nervosos e perder a concentração no jogo.
     
    - Gente, não vai adiantar nada ficarmos nervosos assim, vamos jogar e dar o nosso melhor. – Reclamou João.
     
    Pela primeira vez Bruno e Pedro concordam com João, e começam a fazer o que fazem de melhor, jogar bola muito bem.
     
    Quase acabando o jogo, nos minutos finais do segundo tempo, João, Pedro e Bruno já estavam conformados com o empate, mas continuam a jogar brilhantemente, até que Pedro recebe uma bola perfeita, passa para João e ele passa para Bruno que faz um drible espetacular, algo inimaginável e termina a jogada com um golaço, um gol incrivelmente perfeito e faz a equipe se tornar campeã!
     
    A arquibancada vai a loucura, os pais estão eufóricos, o juiz apita o fim do jogo.
     
     João, Pedro e Bruno estão radiantes de felicidade, rindo, pulando, se abraçando, não acreditando que enfim ganharam um jogo com a equipe adversária, foram três jogos seguidos perdendo para conseguir a tão sonhada vitória, e nos minutos finais do segundo tempo, realmente foi um jogaço!
     
    - Com concentração, foco e determinação no final tudo dá certo. – Falou João.
     
    - Verdade amigo, seus incentivos foram fundamentais para nossa vitória. – Falou Pedro.
     
    - Seus incentivos e também meu golaço nos minutos finais do segundo tempo. - Brincou Bruno.
     
    E juntos os amigos riram muito, estavam felizes e isso ninguém podia tirar deles.
     
    Que jogo!
     
     

    Minéia Pacheco
     
     
     

    Avatar









    25
    JUL

                                              (: ) Mariananão era daquelas meninas que desejavam bobagens, não mesmo!Enquantoos amigos sonhavam em ter o celular da moda, roupa de marca, a bolsa domomento, Mariana só queria poder colher a rosa mais cheirosa do jardim maisbonito, chegar em casa e brincar incansavelmente com seu pequeno irmão,  ir a alguma praça perto da sua ...

                                              (Fonte da imagem: 123RF) 
    Mariana não era daquelas meninas que desejavam bobagens, não mesmo!

    Enquanto os amigos sonhavam em ter o celular da moda, roupa de marca, a bolsa do momento, Mariana só queria poder colher a rosa mais cheirosa do jardim mais bonito, chegar em casa e brincar incansavelmente com seu pequeno irmão,  ir a alguma praça perto da sua casa e brincar até cansar, deitar na sua cama e ler seu livro preferido, comer o melhor e mais delicioso bolo de cenoura com cobertura de chocolate que sua avó fazia, até encher a barriga! Ela queria poder ter mais domingos com toda a família reunida, comer a macarronada da mamãe e as panquecas que o papai fazia tão bem, coisas simples, pois Mariana era assim.

    Mas, na escola, ela era deixada um pouco de lado, por não ter as coisas “mais legais” que os amigos tinham, por não ter um celular, uma roupa legal, a bolsa da moda, mas quer saber? Mariana não se importava com isso! Ela era feliz desse jeitinho e isso ninguém poderia tirar dela.

    - Mariana, quando você vai ter um celular igual ao meu, aliás, nem celular você tem ainda! – Falou Joana, sua colega de classe.

    - Sabe Joana, existem coisas muito mais importantes do que um celular, como por exemplo, brincar com meu irmão. Não existe coisa melhor que isso! Você brinca com o seu?

    - Na verdade nunca tenho tempo de brincar com ele.

    - Então hoje ao chegar da escola, esqueça um pouco esse celular e brinque com ele, tenho certeza de que você irá se sentir muito bem.

    No outro dia na escola...

    - Mariana, você não se cansa de repetir tanto suas roupas? – Perguntou Patrícia, sua colega de sala.

    - Não Patrícia, amo minhas roupas e quero usá-las o máximo que conseguir. Em toda reunião da minha família tenho o costume de usar a roupa mais simples possível, pois com elas me sinto mais livre para brincar, você acredita que nunca ninguém falou nada sobre isso? Ficamos tão distraídos brincando, conversando e nos divertindo que não temos tempo de dar importância a roupa que cada um está. Você já se reuniu com toda sua família assim?

    - Não, nunca!

    - Pois faça esse teste, peça a sua mãe para reunir toda sua família para um almoço de domingo, chame seus tios, primos, avós, você vai ver como será inesquecível esse encontro.

    - Que ideia fantástica, vou falar com a mamãe!

    E na saída da escola, Flávio encontra Mariana e fala:

    - Mariana, quando você comprará a bolsa mais usada por todos aqui da escola, praticamente só você não tem ainda.

    - Nunca! – Ela respondeu.

    - Mas você não fica chateada em ver todos com uma e você não.

    - Claro que não. Sabe o que me chatearia mesmo?  Ir ao parque, que fica perto da minha casa, e não encontrar nenhuma criança para brincar comigo. Você já foi a algum parque Flávio?

    - Não, nunca!

    - Então vá.  Você vai ver como é maravilhoso brincar lá com tantas outras crianças, o que realmente importa para mim são momentos assim, brincar, pular, dançar, ler, estar com quem amo... são essas coisas “simples” que me fazem tão bem.

    - Acho que tem uma praça perto da minha casa, darei uma passada por lá esse fim de semana.

    Ao chegar em casa, Mariana correu para fazer a atividade da escola, queria ter tempo de brincar com seu irmão antes dele dormir, e deu certo, eles brincaram bastante.

    Depois de mais um final de semana maravilhoso, Mariana voltou à escola e lá encontrou seus amigos, Joana, Patrícia e Flávio a lhe esperar. Ela achou estranho, pois quando eles a viram, correram ao seu encontro e falaram:

    - Mariana, como é maravilhoso brincar com meu irmão, nunca tinha me divertido tanto. – Falou Joana.

    - Mariana, mamãe reuniu toda nossa família para o almoço de domingo na nossa casa, foi INCRÍVEL! – Falou Patrícia.

    - Mariana, realmente existe uma praça perto da minha casa e é perfeita, brinquei o final de semana inteiro e conheci muitos novos amigos, foi muito legal. – Falou Flávio.

    Mariana estava sem palavras, a felicidade era gigante ao ouvir os relatos dos amigos...

    - É Mariana, e assim descobrimos o que realmente é importante nessa vida, descobrimos que são nas coisas mais simples que encontramos a verdadeira felicidade. – Falou Joana.

    - E estamos muito agradecidos por você ter nos mostrado isso. – Falou Patrícia.

    - Nunca vou esquecer meu final de semana no parque, tudo graças a você Mariana. – Falou Flávia.

    E todos juntos falaram:

    - Muito obrigado!

    Em um lindo gesto de amizade, deram um enorme abraço, agora seriam inseparáveis, grandes amigos!

    E agora juntos e mais fortes teriam uma missão; mostrar às outras crianças que a felicidade está nas coisas mais simples!


    Autora: Minéia Pacheco 

    Avatar









    08
    ABR

        - Não quero ir ao treino de futebol hoje mamãe.   - Por que filho?   - Queria tanto fazer um gol, mas não consigo, por isso não quero ir mais!   - Mas filho, não desista, pois quando você menos esperar sua hora vai chegar.   Murilo foi ao treino naquele dia, mas não teve sucesso e não fez nenhum gol e isso o ...

     
     
    - Não quero ir ao treino de futebol hoje mamãe.
     
    - Por que filho?
     
    - Queria tanto fazer um gol, mas não consigo, por isso não quero ir mais!
     
    - Mas filho, não desista, pois quando você menos esperar sua hora vai chegar.
     
    Murilo foi ao treino naquele dia, mas não teve sucesso e não fez nenhum gol e isso o deixou ainda mais triste.
     
    - Falei para a senhora que não queria ir.
     
    - Não desista, como já falei, sua hora vai chegar é só ter calma e concentração nos jogos.
     
    - Não quero ir mais, nunca mais e estou falando sério!
     
    - Você sempre quis jogar futebol, não me deixou em paz até eu te matricular em uma escolinha e na primeira dificuldade quer desistir? Mas não vai mesmo, fazendo gol ou não você irá até o fim na escolinha.
     
    - Mas mamãe, meus colegas ficam rindo de mim porque nunca fiz um gol.
     
    - Não se preocupe com seus colegas, mostre a eles que você é capaz, eu acredito em você!
     
    - Mas não é tão fácil assim.
     
    - É sim, faça os treinos com mais tranquilidade, não fique tão aperreado por não fazer os gols, na hora certa, ele acontecerá.
     
    Murilo continuou indo aos treinos e nada de fazer gols, mas seguiu os conselhos da sua mãe e não mais se importou com as brincadeiras chatas dos seus amigos e nem ligou mais em querer tanto fazer um gol, apenas aproveitou da melhor forma possível seus treinos de futebol e se divertia muito nas aulas.
     
    - Sabe mamãe, depois daquela nossa conversa descobri que ficar preocupado querendo fazer um gol estava me tirando a alegria de treinar futebol, não estou nem mais me importando em fazer um gol.
     
    - Muito bem filho, que bom que você aprendeu tudo que te falei.
     
    O tempo passou...
     
    - Filho hoje irei assistir suas aulas de futebol.
     
    - Que bom mamãe, então vamos que já esta na hora.
     
    A mãe sentou e ficou a observar seu filho no jogo, naquele dia ele não teria treino e sim uma pequena partida de futebol, ela ficou lá, sentadinha, olhando seu filho jogando e para ela, ele era o melhor. Percebeu que o filho estava de frente para o goleiro com a bola nos pés e então ela deu um grande grito:
     
    - Chuta forte filho!!!
     
    E ele chutou e fez um lindo gol, um maravilhoso gol que a mãe ficou feliz da vida pulando e gritando de alegria, o filho depois daquele golaço correu até a mãe e lhe deu um forte abraço, um super beijo e falou:
     
    - Obrigado por não me fazer desistir mamãe, te amo!
     
    A mãe ficou feliz e com lágrimas nos olhos.
     
    Aquele jogo nunca mais saiu da memória do filho, pois ele enfim conseguiu seu tão sonhado gol e nem saiu também da memória da mãe, pois ela guardou para sempre aquele momento em seu coração!
     
     
    ***************************
     
    P.S: Este conto dedico especialmente a pessoa que me inspirou a cria-lo, meu filho. Pois como Murilo ele sempre sonhou em fazer um gol em seus treinos de futsal, e o gol surgiu quando ele menos esperou, assim como o do Murilo no conto. E qualquer semelhança com a reação da mãe do Murilo com a minha, não é mera coincidência!
     

    Autora Minéia Pacheco

    Avatar












  • 04
    OUT

        Ah! Enfim chegou o final de semana e mais uma vez irei a fazenda do vovô. Amo ir, pois me divirto, me sinto livre, feliz e fico pertinho dos animais que existem por lá. Queria poder morar na fazenda com meu vovô, poder passar mais dias felizes assim, mas a mamãe já falou que não se acostuma com a calmaria da fazenda e que eu tirasse essa idei ...

     
     
    Ah! Enfim chegou o final de semana e mais uma vez irei a fazenda do vovô. Amo ir, pois me divirto, me sinto livre, feliz e fico pertinho dos animais que existem por lá. Queria poder morar na fazenda com meu vovô, poder passar mais dias felizes assim, mas a mamãe já falou que não se acostuma com a calmaria da fazenda e que eu tirasse essa ideia da cabeça.
     
    Certo fim de semana, enquanto estava na fazenda tocando minha corneta, criei uma melodia tão linda, mas tão linda que alguns dos animais chegaram mais perto de mim para ouvir a canção. Não pensava que animais gostavam de música, mas eles gostam sim. E por isso, todo fim de semana quando vou para a fazenda do vovô levo minha corneta para tocar para eles, e é tão bom!
     
    - Nossa filho, que linda canção. – Falou minha mãe certo dia.
     
    - Fiz essa canção para meus amigos da fazenda. – Falei.
     
    - Ela é muito linda, quem são seus amigos?
     
    - Não estás vendo mamãe?
     
    - Não!
     
    - São todos esses animais. Toda vez que começo a tocar eles chegam pertinho de mim para ouvir a canção.
     
    - Verdade filho?
     
    - Sério mamãe! Também fiquei surpreso no início, mas agora já estou acostumado com minha plateia.
     
    - Que lindo filho, não sabia que animais gostavam de música.
     
    - Nem eu, mas eles gostam sim. Os animais tem muita coisa para nos ensinar.
     
    - Verdade filho, agora entendo sua felicidade quando vem para a fazenda do vovô, realmente o que você vive aqui é algo mágico.
     
    - Sinto um pedacinho do céu quando estou aqui.
     
    - Eu sei filho, e também estou sentindo. Sei que você é louquinho para vim morar na casa do vovô, mas vou te confessar uma coisinha... A fazenda do vovô é especial assim porque só estamos aqui nos finais de semana, se morássemos aqui ela perderia a graça, pode acreditar!
     
    Depois que a mamãe me falou isso, enfim compreendi que as coisas quando caem na rotina perdem um pouco o encanto e eu realmente não quero perder a alegria de vim para a fazenda do vovô, tá bom do jeitinho que está, pois quando o final de semana vai se aproximando, meu coração já vai acelerando e minha corneta já começa a tocar.
     
    Na fazenda do vovô me sinto feliz, e meus finais de semana se tornam hiper especiais!
     
     
       Minéia Pacheco
     
     
     
    Dicas para nossos pequenos nesta Semana das Crianças!
     


     
     
    ATENÇÃO: Os eventos Monster High – Draculaura tem em várias cidades de SP.
    A oficina de Bexiga em Campinas, SP e a contação de histórias na cidade de São Paulo mesmo.
     
    Aproveitem as dicas e levem as crianças para se divertirem e ouvirem muitas histórias!
     
    ... Beijos...

    Avatar













    MINÉIA PACHECO
    Escritora



  • ANUNCIE AQUI




    PARA PENSAR

    Ah, como é importante para a formação de qualquer criança ouvir muitas, muitas histórias... Escutá-las é o início da aprendizagem para ser um leitor, e ser leitor é ter um caminho absolutamente infinito de descoberta e de compreensão do mundo...
    (Fanny Abramovich)





    Copiar essas ideias sem a permissão do autor é crime, pois isso configura uma forma de roubo e roubar ideias é plágio, e plágio é crime. Art. 184 – Código Penal

    © Copyright 2017 - Minéia pacheco. Todos os direitos reservados. O conteúdo deste site não pode ser reproduzido, distribuído, transmitido, ou usado, exceto com a permissão prévia por escritor.