• 06
    MAR

      Os ovos da galinha Clarita!   Era uma linda manhã de sol, todos os animais da fazenda já haviam acordado e o galo continuava a cantar no telhado da casa. Era, ou melhor, seria uma manhã como outra qualquer se não fosse um pequeno acontecimento inesperado que tinha deixado todos os animais da fazendo impressionados, a galinha Clarita havia colocado ovos color ...

     

    Os ovos da galinha Clarita!

     

    Era uma linda manhã de sol, todos os animais da fazenda já haviam acordado e o galo continuava a cantar no telhado da casa. Era, ou melhor, seria uma manhã como outra qualquer se não fosse um pequeno acontecimento inesperado que tinha deixado todos os animais da fazendo impressionados, a galinha Clarita havia colocado ovos coloridos naquela manhã!!!

     

    - Como assim? Galinhas não colocam ovos coloridos! – Falou a Vaca.

     

    - Isso vai dar confusão, também nunca vi! – Falou o porco.

     

    A galinha Clarita não parava de gritar e de correr de um lado para o outro.

     

    - Cocoricóóó!!! O que aconteceu com meus ovinhos!? Preciso de ajuda, estou doente, coloquei ovos coloridos!!!

     

    E começou a chorar!

     

    Os animais não sabiam o que fazer, como pode uma galinha colocar ovos coloridos?

     

    O galo depois que terminou a cantoria, correu para o galinheiro e procurou saber o que estava acontecendo, depois que os animais comentaram o ocorrido ele ficou confuso e foi procurar ajuda...

     

    - Calma, galinha Clarita, vou sair pela fazenda atrás de algum animal que possa nos explicar o que aconteceu com seus ovos, vamos resolver esse problema. – Ele falou.

     

    - Cocoricóóó!!! Por favor senhor galo, vá logo. Não aguento mais essa aflição!

     

    O galo andou, andou...

     

    Falou com quase todos os animais da fazenda e nenhum conseguia entender ou explicar o que tinha acontecido com os ovos da galinha Clarita.

     

    - Nunca vi algo parecido! – Falou o pato.

     

    - Muito estranho! – Mencionou a Ovelha.

     

    - Ela deve estar doente. -  Se preocupou o gato.

     

    O galo não queria chegar ao galinheiro sem solução para o problema da galinha Clarita.

     

    - E agora, o que eu faço!?

     

    Ele parou um pouco, respirou fundo e ouviu um choro, que vinha de longe...

     

    - Quem será que está chorando? – Ele se perguntou.

     

    O galo seguiu o som do choro, foi seguindo, o som foi ficando mais próximo, até que ele encontrou quem tanto chorava!

     

    - Porque você está chorando pintinho Caio? – Perguntou o galo.

     

    O pintinho teve um susto, olhou para o galo e falou:

     

    - Eu fiz uma coisa muito feia.

     

    - Me conte, posso te ajudar.

     

    - Promete que não vai ficar bravo comigo? – Perguntou o pintinho.

     

    - Depende do que você fez. Vamos, conte logo!

     

    - Essa noite estava sem sono, então fui procurar algo para fazer enquanto todos dormiam no galinheiro, peguei algumas tintas e pintei alguns ovinhos, depois fiquei com tanto sono que esqueci de limpá-los. E agora estão todos preocupados com os ovos coloridos da galinha Clarita e a culpa é toda minha!!! – E começou a chorar.

     

    O galo ficou satisfeito por, enfim, descobrir o mistério dos ovos coloridos da galinha e falou:

     

    - E porque você não falou logo que era pintura e que sai com água? Porque você deixou todos ficarem tão preocupados assim?

     

    - Não sei, tive medo... só fiz correr e chorar!

     

    - Vamos lá, voltar ao galinheiro e explicar tudo bem direitinho para a galinha Clarita, devemos assumir nossos erros e tentar consertá-los.

     

    E assim foram, o galo e o pintinho... Ao chegarem no galinheiro, o pintinho Caio contou tudo como tinha acontecido à galinha Clarita, ela o desculpou, ele limpou todos os ovinhos e prometeu nunca mais brincar, ou desenhar neles.

     

    Tudo voltou ao normal, a galinha estava mais calma e satisfeita com seus lindos ovinhos e o pintinho Caio aprendeu uma grande lição, por mais que possa ser difícil, devemos sempre assumir nossos erros e tentar consertá-los.

     

    AUTORA MINÉIA PACHECO




    Avatar









    18
    DEZ

      - Olha mamãe, aquela estrela a brilhar no céu, olha como ela brilha diferente das outras. - É verdade filho, que brilho intenso. - Nunca vi uma estrela brilhar assim... - Nem eu filho, que linda! Nando e sua mãe ficaram admirando a linda estrela que brilhava intensamente no céu por muito tempo ainda. Eles queriam muito saber porque aquela estrela brilhava ...

     

    - Olha mamãe, aquela estrela a brilhar no céu, olha como ela brilha diferente das outras.

    - É verdade filho, que brilho intenso.

    - Nunca vi uma estrela brilhar assim...

    - Nem eu filho, que linda!

    Nando e sua mãe ficaram admirando a linda estrela que brilhava intensamente no céu por muito tempo ainda. Eles queriam muito saber porque aquela estrela brilhava de uma forma tão diferente das demais, algo que eles nunca tinham percebido antes.

    Até que depois de um bom tempo a observar, passou uma senhora e falou com eles:

    - Admirados com a estrela?

    - Sim, muito! – Nando respondeu.

    - Ela é a estrela do natal, só aparece uma vez ao ano.

    - Estrela do natal!? – Nando e sua mãe questionaram surpresos.

    - Sim, claro! Toda noite de natal ela aparece lá no céu, para nos avisar que o filho de Deus nasceu no meio de nós.

    - Não, mas isso aconteceu a muito tempo. Não existe mais essa estrela nos dias atuais. – Falou a mãe de Nando.

    - Mas é claro que existe! Todo ano ela está lá, como sempre esteve. Ela vem para nos mostrar que o menino Jesus nasceu no meio de nós e para nunca esquecermos o quanto Ele nos ama!

    - Nossa, não sabia disso! – Falou Nando.

    - Há muito tempo atrás essa mesma estrela guiou os três reis magos para o lugar onde Jesus havia nascido, hoje em dia a estrela do natal vem com o objetivo de nos fazer entender que nunca devemos esquecer de que o renascimento de Jesus acontece todos os anos.

    - Que momento mágico! – Falou a mãe de Nando.

    - É sim, muito mágico! Sintam a magia desta época, apreciem a estrela de natal e nunca esqueçam que ela existe para nos mostrar que todo ano Ele renasce no meio de nós e que a esperança nunca deve deixar de existir em nossos corações.

    - Obrigada senhora por nos ensinar tudo isso e por encher nosso coração de amor e esperança. – Falou Nando.

    - Que a estrela do Natal nunca deixe de brilhar no céu, e principalmente, que ela nunca deixe de brilhar durante todo ano no coração de cada um de nós. Um feliz natal!

    E juntos, os três, se abraçaram, olharam a estrela a brilhar no céu e agradeceram imensamente por ela renovar todo ano a esperança com o renascimento de Jesus!

     

     

    Autora Minéia Pacheco.

     




    Avatar









    30
    DEZ

              Os animais andavam agitados, pela primeira vez em toda a história da floresta eles iriam fazer uma festa de fim de ano. Mais como essa festa ficaria na história da floresta, eles decidiram que não poderia ser uma festa qualquer, deveria ser um festão!   - Já que sou o rei da floresta, irei distribuir a funç&at ...

          Fonte da imagem AQUI!
     
     

    Os animais andavam agitados, pela primeira vez em toda a história da floresta eles iriam fazer uma festa de fim de ano. Mais como essa festa ficaria na história da floresta, eles decidiram que não poderia ser uma festa qualquer, deveria ser um festão!

     

    - Já que sou o rei da floresta, irei distribuir a função de cada um para nossa festa de fim de ano. - Falou o leão.

     

    O macaco quis logo questionar e tomar o lugar do rei das selvas, mas o leão deu um forte rugido e, com medo, o macaco pulou para longe e não falou mais nada.

     

    - Nossa festa tem que ser linda, pois iremos comemorar o fim de um ano e o começo de outro. Tudo tem que ser perfeito. Então o senhor elefante irá cuidar da nossa alimentação, como você é grande irá trazer todos os alimentos e muita água para todos os animais.

     

    - Mas rei leão... – Quis questionar o elefante, mas o leão deu um forte rugido que o elefante estremeceu.

     

    - Tudo bem, tudo bem. – O elefante saiu falando morrendo de medo.

     

    E o leão continuou:

     

    - A dona girafa irá ornamentar toda a floresta na parte superior e a dona cobra ornamentará a parte inferior da floresta, certo assim?

     

    - Claro que sim! – Falaram as duas de uma só vez.

     

    - O macaco como é bom em pular de galho em galho, irá convidar todos os animais e o gorila irá com você para ajudar e convidar, mais rápido, todos os animais da floresta. Vocês ficarão com essa função.

     

    - Mas não sei se quero essa função. – Falou o gorila.

     

    E depois de um forte rugido que estremeceu toda floresta o leão falou:

     

    - Você quer sim!!

     

    - Tudo bem, só estava brincando. – Falou o Gorila. Vamos macaco, vamos rápido!

     

    - Eu, o leopardo e o tigre, iremos limpar toda essa parte da floresta, pois será aqui nossa festa. Agora vamos todos trabalhar! – E rugiu forte.

     

    - Nossa! Esse leão está se achando, ele pensa que pode falar assim com a gente, tenho até medo de ir para essa festa. – Falou o elefante.

     

    A girafa e a cobra também conversaram quando saíram de perto do leão.

     

    - Nossa dona cobra que rei mandão, não custava nada ele perguntar nossa opinião.

     

    - Também acho dona girafa, estou até sem vontade de ir para essa festa. – Falou a cobra.

     

    - Eu também! – Falou a girafa.

     

    O gorila e o macaco também questionaram:

     

    - Macaco, que leão mais chato. Ele pensa que manda em tudo e em todos? – Falou o gorila.

     

    - Também acho gorila, desse jeito não tenho nem vontade de ir a essa festa. – Falou o macaco.

     

    - Nem eu! – Falou o gorila.

     

    Enquanto isso...

     

    - Pronto, terminamos nossa função aqui. – Falou o leão.

     

    - Leão, você não acha que foi muito mandão? – Perguntou o tigre.

     

    - Pois é leão... – Falou o leopardo.

     

    -Mandão! Eu? Claro que não! Sou apenas o rei da floresta e tenho que fazer minha função de mandar nos demais animais.

     

    - Mas não custava nada você ouvir a opinião de cada um. – Falou o leopardo.

     

    - Pois é, saber o que cada um mais gostava de fazer. – Falou o tigre.

     

    - Deixe de bobagem, se fosse perguntar o que cada um queria fazer, iríamos passar o dia todo aqui e a nossa festa de fim de ano será logo mais, não tinha tempo para isso.

     

    E a hora da festa chegou...

     

    - Não é estranho não ter chegado nenhum animal para nossa festa? – Perguntou o Leopardo.

     

    - Pois é, já está na hora da festa e ninguém chega. – Falou o tigre.

     

    - Calma amigos, logo eles chegarão. – Falou o leão.

     

    E o tempo passou, passou e nenhum animal chegou...

     

    - Alguma coisa aconteceu. – Falou o tigre.

     

    - Acho que a culpa foi do macaco e do gorila que não passaram o local da festa corretamente. – Falou o leão, muito zangado. Vamos atrás deles!

     

    - Vamos!! – Falaram o tigre e o leopardo de uma só vez.

     

    Eles correram, correram, mas não acharam nenhum animal na floresta, nem mesmo uma pequena formiga, todos haviam sumido. Ficaram um pouco em silêncio e ouviram de longe o som de uma música.

     

    - Vamos seguir esse som. – Falou o leão.

     

    Eles correram tanto, tanto, tanto... Enfim, acharam de onde vinha o som, todos os animais estavam lá e o leão logo gritou.

     

    - O que está acontecendo aqui? – Ele perguntou com um forte rugido.

     

    Os animais estremeceram, quiseram fugir e tiveram muito medo do leão que estava muito zangado.

     

    O macaco como era o mais corajoso de todos, logo falou:

     

    - A festa de fim de ano é um momento especial e devemos estar com pessoas que gostamos, que nos fazem bem, para comemorar com muita alegria o novo ano que estar por vim. Todos nós temos muito medo de você e não gostamos nada, nada, de como nos tratou; e por isso, resolvemos fazer nossa própria festa longe de animais chatos como você.

     

    O leão se sentiu triste, se sentiu excluído, não questionou nada do que o macaco havia falado e deu a meia volta para sair daquela festa onde ele não era bem-vindo.

     

    - Calma amigos, não apenas na festa de fim de ano, mas durante todo o ano devemos também praticar o perdão, tenho certeza de que o leão está arrependido de tudo que fez, não é leão? – Falou o tigre.

     

    - Não pensava que tinha magoado tanto vocês, apenas tentei fazer o que todo rei deve fazer, MANDAR! Mas acho que agi mal e magoei todos. Vocês me perdoam?

     

    Os animais se entreolharam, será que o leão estava falando de coração?

     

    - Vamos lá pessoal, é nossa primeira festa de fim de ano, vamos torná-la especial, vamos perdoar o leão e participar todos juntos desta festa maravilhosa. – Falou o leopardo.

     

    -Nós te perdoamos leão, vem que a festa é nossa!! – Falaram todos os animais de uma só vez.

     

    E o leão entrou na festa, entrou feliz, entrou leve, entrou um novo leão, menos mandão e mais amigos de todos animais.

     

    - 5,4,3,2,1............... Feliz Ano Novo!!! – Gritaram os animais a floresta.

     

    E aquela festa, com certeza, foi inesquecível para todos os animais da floresta, pois foi a partir dela que o animal mais poderoso da floresta reconheceu que não importa a posição que ocupamos, devemos sempre ouvir o próximo, parar para escutar o que o outro tem a nos dizer, pois só assim podemos fazer amigos de verdade!

     

     

    MINÉIA PACHECO

    www.mineiapacheco.com.br

    Nossa missão é transmitir valores através de contos infantis.

     




    Avatar












  • 24
    OUT

      - Mamãe, achei na escola esse lindo carrinho e agora ele é meu!   Foi a primeira coisa que Pedro falou assim que chegou em casa, estava eufórico com seu novo brinquedo. Sua mãe ao lhe ouvir falar, parou tudo que estava fazendo e foi ao encontro de seu filho e falou:   - Como?!   - Achei esse lindo carrinho na escola.   - Filho, esse carrinho d ...


     
    - Mamãe, achei na escola esse lindo carrinho e agora ele é meu!
     
    Foi a primeira coisa que Pedro falou assim que chegou em casa, estava eufórico com seu novo brinquedo. Sua mãe ao lhe ouvir falar, parou tudo que estava fazendo e foi ao encontro de seu filho e falou:
     
    - Como?!
     
    - Achei esse lindo carrinho na escola.
     
    - Filho, esse carrinho deve ser de alguns dos seus amigos, você não pode achar as coisas por aí e falar que é sua. Tem que procurar o verdadeiro dono.
     
    - Mas mamãe, ele estava por lá, totalmente esquecido.
     
    - Imagine se você perdesse seu carrinho por aí, e alguém o encontrasse e ficasse com ele?
     
    - Iria chorar muito!
     
    - Pois então, será que alguém não deve estar chorando agora porque não achou o carrinho e teve que ir para casa sem ele?
     
    - Será mamãe?
     
    - Claro que sim filho, não devemos JAMAIS achar alguma coisa e dizer que é nossa, por que com certeza deve ter algum dono louquinho para encontrar o que perdeu.
     
    - E agora mamãe? Já está anoitecendo, como iremos fazer para encontrar o verdadeiro dono do carrinho?
     
    - Só amanhã agora filho...
     
    - Estou muito triste, fiz algo muito feio, não foi mamãe?
     
    - Não precisa ficar triste filho, nunca é tarde para fazer a coisa certa.
     
    E no dia seguinte, Pedro levou o carrinho para a escola, como todos seus amigos já haviam chegado ele tirou o carrinho da bolsa e perguntou:
     
    - Esse carrinho é de algum de vocês?
     
    Daniel logo levantou as mãos e falou:
     
    - É meu sim Pedro, chorei a noite toda por que tinha esquecido ele aqui na escola, obrigado meu amigo.
     
    Pedro se sentiu muito bem, ficou muito feliz em ver o amigo feliz também e decidiu que nunca mais levaria para casa algo que não lhe pertencia, pois devemos sempre agir corretamente para nos sentirmos bem!
     
     
    Autora Minéia Pacheco



    Avatar





    • Bom dia Minéia!
      Suas estórias tem sempre um aprendizado e mensagem muito positivas.
      Adorei!
      Abração com carinho

      RESPOSTA





    • Que suave a nova aparência!!! Sou uma seguidora desnaturada... fiquei ausente um tempo e agora estou voltando, quando te vi na Chica vim correndo... minha filha é sua fã... A Livia...

      Vou aparecer mais!

      bjsMeus
      Catita


      RESPOSTA





    • Gostei de conhecer seu blog,minha filha de 8 anos ama ler as historinhas,essa do Pedro ela já pos em prática outro dia.Obrigada.
      Ivone ivonels-@live.com

      RESPOSTA





    • Mineia,que amor de história e ensina a não ficar com coisas que não são suas!Belo gesto do Pedro!bjs,

      RESPOSTA





    • Adorei!!!!
      Que bom que Pedro fez a coisa certa!!!
      Bjs do Neno

      RESPOSTA





    • A mãe de Pedro soube muito bem orientar seu filho.Não devemos pegar o que não nos pertence!
      Bjs
      Pedro e Amara

      RESPOSTA





    • Minéia, amei conhecer seu blog e ler seus contos, já favoritei para minha filha ler sempre. Um abraço.
      Suzana Borges

      RESPOSTA





    • Linda lição essa através de sua história Minéia.
      É desde pequeno que se deve aprender que o que não é nosso tem que ser entregue ao dono.
      Se todos fossem educados assim, o mundo não estaria nesse caos todo.

      Beijos com carinho.

      Ahhhh, tem um mimo pro teu cantinho lá no Rabiscos Infantis, tá bom?
      Com muito carinho que te ofereço.

      RESPOSTA





    • Pedro conseguiu terminar bem ao devolver para Daniel. LInda lição aqui!! beijos,tudo de bom,chica

      RESPOSTA









    18
    OUT

          Quem diria que entre tantos seres que existem no fundo do mar, uma baleia iria ficar amiga justamente de um minúsculo peixinho. Quer saber como essa grande amizade começou? Então preste muita atenção no que vou te contar!   A baleia Teia estava nadando normalmente nas profundezas do mar, quando ouviu uns gritos fininhos, vindo de algum l ...

     
     
     
    Quem diria que entre tantos seres que existem no fundo do mar, uma baleia iria ficar amiga justamente de um minúsculo peixinho. Quer saber como essa grande amizade começou? Então preste muita atenção no que vou te contar!
     
    A baleia Teia estava nadando normalmente nas profundezas do mar, quando ouviu uns gritos fininhos, vindo de algum lugar perto dali. Quanto mais ela nadava, mais os gritos ficavam fortes. Teia tentou seguir o barulho, mas estava muito difícil, quase impossível, saber de onde vinham. Se fosse outro ser aquático já teria desistido, mas Teia não era de desistir tão fácil e não sossegou enquanto não descobriu de onde vinham os gritos fininhos.
     
    Nadou, nadou... Tinha horas que os gritos ficavam mais fortes e depois enfraquecia, percebia algumas vezes que os gritos estavam próximos e outros, longe. Passou a olhar as plantas aquáticas com mais cuidado, com mais atenção, até que, em uma das plantas aquáticas, ela observou um pequenino peixinho com uma das nadadeiras presa nas algas, sem poder se mover, sem poder nadar. O pequeno peixinho já estava fraquinho de tanto gritar.
     
    - Que bom que enfim alguém me achou, você pode me soltar daqui? – Falou Juca, o peixinho.
     
    - Claro que sim, foi difícil te encontrar, mas estou muito feliz por que meu esforço e perseverança valeram a pena, te achei e vou te salvar!
     
    - Não sei o que seria de mim se não fosse você. Será que posso te chamar de amiga?
     
    - Claro que sim, ficaria muito feliz em ter um amigo como você!
     
    Então a baleia Teia mordeu a alga para o peixinho Juca poder se soltar, quando mordeu e enfim ele se livrou, Teia sentiu que algo ficou preso entre seus enormes dentes e começou a sentir muita dor. Juca logo falou:
     
    - Teia me deixa entrar na sua boca e saber o que aconteceu?
     
    Teia sentia tanta dor, que nem conseguiu falar, apenas abriu a boca e Juca como era muito corajoso, entrou. 
     
    E dentro da boca dela ele procurou e encontrou o problema...
     
    - Teia, tem uma alga entre seus dentes, deve ser isto que esteja causando toda essa dor, vou tirar...
     
    E com muito esforço, Juca tirou a alga que estava entre os dentes dela. Imediatamente ela sentiu um grande alívio e ficou muito feliz por ver que seu novo amigo, apesar de tão pequenino, pôde ajuda-la.
     
    - Obrigada Juca, você é um amigo maravilhoso.
     
    - Sabe Teia, acho melhor de hoje em diante nunca mais nos separarmos, pois percebo que apesar da diferença de tamanho, somos perfeitos um para o outro.
     
    - Concordo com você Juca, de hoje em diante seremos inseparáveis meu amigo.
     
    E foi desse jeitinho que a amizade nasceu entre eles, eram diferentes, mas completavam um ao outro. E uma amizade verdadeira é inexplicável, ela simplesmente acontece...
     
     
     
    Autora Minéia Pacheco
     
     
     



    Avatar









    08
    OUT

      - Filho, o dia das crianças já está chegando e até agora você não nos falou o que deseja ganhar. - Falou a mãe.   - Verdade filho, nos fale para comprarmos logo. - Falou o pai.   - Vou pensar em algo! - Falou Adriel.   - Pense rápido, pois à noite quando voltarmos para casa queremos saber! - Falou o pai.   - T ...


     
    - Filho, o dia das crianças já está chegando e até agora você não nos falou o que deseja ganhar. - Falou a mãe.
     
    - Verdade filho, nos fale para comprarmos logo. - Falou o pai.
     
    - Vou pensar em algo! - Falou Adriel.
     
    - Pense rápido, pois à noite quando voltarmos para casa queremos saber! - Falou o pai.
     
    - Tudo bem. - Falou Adriel.
     
    Os pais saíram, como fazem todo dia e Adriel ficou num cantinho pensando:
     
    - O que quero ganhar no dia das crianças?
     
    Foi à cozinha conversar com Carminha, a ajudante da casa. Carminha para Adriel, era considerada como alguém da família, pois desde que ele era bebezinho ela cuidava dele quando os pais saiam para trabalhar. Os tempos não mudaram, os pais continuavam saindo logo cedo para trabalhar e voltando tarde da noite. Mas, ele nunca reclamou, pois seus pais apesar da ausência, sempre faziam seu gosto lhe dando tudo que pedia.
     
    - Carminha, o que peço de presente pelo dia das crianças aos meus pais?
     
    - Não sei Adriel, é muito difícil dá algum presente para quem já tem tudo!
     
    - Verdade, tenho tudo mesmo...
     
    - Estou percebendo você um pouco triste. O que ouve?
     
    - É que eu tenho tudo que toda criança gostaria de ter e não sou feliz, por quê?
     
    - Talvez porque a verdadeira felicidade não esteja nas coisas. Você sente falta de algo?
     
    - Claro, gostaria de ter mais carinho dos meus pais. Eles são legais, me dão tudo que peço, mas não me dão beijos, abraços... Sinto muita falta disso!
     
    - Então descobrimos o que você está precisando ganhar... Beijos e abraços dos pais! Diga a eles hoje à noite quando eles voltarem do trabalho.
     
    - Direi!
     
    À noite, quando os pais de Adriel chegaram, ele correu ao encontro deles e disse que já sabia o que queria ganhar no dia das crianças.
     
    - Certo filho, mas primeiro vamos jantar que estamos com fome. - Falou a mãe.
     
    Depois do jantar, Adriel tentou falar com os pais:
     
    - Posso falar agora?
     
    - Calma filho, me deixe assistir o jornal primeiro. - Falou o pai.
     
    E o tempo foi passando, Adriel já estava cansado de esperar e resolveu ir dormir. 
     
    Quando já estava subindo as escadas para ir ao quarto, o pai o chamou:
     
    - Vem filho, estamos prontos para ouvir! - Falou a mãe.
     
    - Bem, neste dia das crianças o que quero ganhar de vocês é muitos beijos e abraços!
     
    Os pais se entreolharam:
     
    - Que brincadeira é essa? - Falou o pai.
     
    - Não é brincadeira papai, é verdade. Quero muito ganhar beijos e abraços de vocês. Hoje conversando com Carminha percebi que tenho tudo que toda criança sempre sonhou, mas não sou feliz. Essas coisas, só elas, não trazem felicidade, preciso do carinho, atenção e amor de vocês também. E preciso que vocês demonstrem isso não me dando presentes e mais presentes, e sim, com beijos, abraços e frases tipo EU TE AMO. Preciso disso neste dia das crianças, preciso disso durante toda minha vida!
     
    Neste momento, os pais de Adriel não conseguiram mais esconder as lágrimas e choraram muito, abraçaram o filho e lhe pediram desculpas, muitas desculpas. Eles pensavam que lhe enchendo de presentes, poderiam disfarçar a ausência, e que tudo ficaria bem, porém nada é mais importante que uma demonstração de carinho, um beijo carinhoso, um abraço apertado e um sincero EU TE AMO, essas são coisas que dinheiro nenhum compra e que quanto mais se dá, mais amor em troca terá!
     
    Então, a partir daquele dia, Adriel era a criança mais abraçada, beijada, e amada do mundo e quando perguntavam se agora ele era feliz, ele respondia:
     
    - Agora descobrir onde a verdadeira felicidade se encontra!
     
     
     
    Autora Minéia Pacheco
     
     
     



    Avatar
















    Copiar essas ideias sem a permissão do autor é crime, pois isso configura uma forma de roubo e roubar ideias é plágio, e plágio é crime. Art. 184 – Código Penal

    © Copyright 2017 - Minéia pacheco. Todos os direitos reservados. O conteúdo deste site não pode ser reproduzido, distribuído, transmitido, ou usado, exceto com a permissão prévia por escritor.