• 30
    MAR

      O menino que não aceitava desperdício de água!   - Papai e mamãe, quantas vezes já falei para desligarem a torneira enquanto estão escovando os dentes?   - Mamãe, quantas vezes tenho que falar para a senhora aprender a primeiro ensaboar os pratos e depois lavá-los todos de uma só vez?   - Papai, primei ...

     
    O menino que não aceitava desperdício de água!

     

    - Papai e mamãe, quantas vezes já falei para desligarem a torneira enquanto estão escovando os dentes?

     

    - Mamãe, quantas vezes tenho que falar para a senhora aprender a primeiro ensaboar os pratos e depois lavá-los todos de uma só vez?

     

    - Papai, primeiro ensaboa-se o carro, e só depois é que o lava por completo.

     

    João não aguentava mais, sempre as mesmas recomendações e os pais continuavam a fazer as coisas erradas.

     

    - João, acho linda essa sua preocupação com o desperdício de água em nossa casa, mas você não acha que está muito preocupado com isso? – Falou a mãe.

     

    - E a senhora acha que não deveria me preocupar? A qualquer momento a água do mundo pode acabar por culpa das pessoas que não a usam corretamente e a senhora acha que devo ficar calmo? – Falou João.

     

    - Acho sim! – Falou a mãe.

     

    - Mas não posso, sou responsável pelo futuro do planeta, o mundo precisa de mim! – Falou João.

     

    - Mas filho, você sozinho não pode salvar o mundo.

     

    - O mundo não, mas fazendo minha parte posso salvar minha casa, posso ensinar a minha família a usar corretamente a água e quando atingir esse objetivo estarei satisfeito e consciente que fiz minha parte para preservar a água no mundo.

     

    - Que maravilhoso pensar assim filho! – Falou a mãe.

     

    - Vem aqui mamãe, olhe nosso jardim, pra quê ligar uma mangueira se um regador dá conta do recado, gasta menos e as plantinhas ficam satisfeitas, água demais é até ruim para elas, assim é a forma ideal de regá-las. – Falou João.

     

    - Tudo bem João, você me convenceu e de hoje em diante estarei do seu lado na luta para conscientizar nossa família a usar corretamente a água e depois vou até dar umas dicas para nossa vizinha, ela gasta muita água no jardim. – Falou a mãe.

     

    - É esse meu objetivo, vamos fazer uma corrente do bem, eu ensino minha família, minha família ensina os vizinhos, os vizinhos aos amigos e assim uns aos outros vão ensinando a economizar água e quando menos percebermos essa pequena atitude que começou aqui, em nossa casa, estará pelo mundo inteiro. – Falou João.

     

    - Você é um gênio João. – Falou a mãe.

     

    - Só quero o melhor para mim e para o mundo, e se aprendemos a usar a água corretamente todos sairão ganhando. – Falou João.

     

    E assim, o pequeno João fazendo sua parte com sua família foi conseguindo seu objetivo, aos poucos sua corrente do bem foi chegando a todos os lugares do mundo. Chegará o dia em que não haverá desperdício de água, pois todos conhecerão as atitudes de João e aprenderão com ele a não desperdiçar água.

     

     

    MINÉIA PACHECO

    www.mineiapacheco.com.br

    Nossa missão é transmitir valores através de contos infantis.

     




    Avatar









    20
    MAR

      Desperdiçar água? Jamais!   Júlia sempre gostou de tomar banho, diferente da maioria dos seus colegas de classe que não curtiam muito um bom banho, ela passava horas e horas no chuveiro passando sabonete, xampu, condicionador e tudo que fosse preciso para ficar cheirosa, pois ela amava ficar limpa, detestava sujeira.   Porém, havia um pro ...

     
    Desperdiçar água? Jamais!

     

    Júlia sempre gostou de tomar banho, diferente da maioria dos seus colegas de classe que não curtiam muito um bom banho, ela passava horas e horas no chuveiro passando sabonete, xampu, condicionador e tudo que fosse preciso para ficar cheirosa, pois ela amava ficar limpa, detestava sujeira.

     

    Porém, havia um problema, um grande problema, Júlia gastava água demais debaixo do chuveiro, passava muito tempo ensaboando-se e deixava o chuveiro lá jorrando água, sem necessidade, puro desperdício!

     

    Sua irmã sempre falava:

     

    - Desliga esse chuveiro Júlia, já falei que quando estiver ensaboando-se não precisa deixá-lo ligado.

     

    Mas Júlia esquecia, e ela só se lembrava de desligar quando a irmã chamava sua atenção. Na verdade Júlia achava esse negócio de economizar água uma grande besteira, para ela a água nunca iria acabar. E foi conversar, depois do banho demorado, com sua irmã:

     

    - Isabel, você acha mesmo que se gastarmos água demais um dia ela irá acabar?

     

    - Claro que sim Júlia, você não vê que em todos os lugares só se fala em economizar água? Ela está acabando, na escola é só o que os professores falam, em todos os lugares. Se continuarmos gastando-a desnecessariamente um dia ela chegará ao fim, disso tenho certeza.

     

    - Sabe, acho que isso é uma grande bobagem, claro que a água não irá acabar um dia.

     

    - Diga-me uma coisa.

     

    - O quê Isabel?

     

    - Se um dia ela realmente acabar o que você irá fazer?

     

    - Se ela acabar mesmo, irei ficar muito desesperada, pois não suporto sujeira, preciso dos meus banhos diários e sem eles não sei o que seria de mim.

     

    - Pois é, o que te custa economizar nos banhos, desligar o chuveiro quando for se ensaboar?

     

    - Não custa nada!

     

    - Então faça isso, mesmo se você não acredita que um dia ela possa acabar, não vamos desperdiçar um bem tão precioso que temos. Temos que usar também o bom senso.

     

    -Bom senso?!

     

    - Sim, pois não é só por que temos água abundantemente saindo pela torneira que iremos gastá-la em vão. Vamos usar apenas o necessário.

     

    - Você tem razão irmã. Neste ponto concordo com você!

     

    - A água é um elemento natural muito importante para nós, sem ela não sobreviveríamos, e mesmo que pessoas como você acreditem que ela não irá acabar, para quê estar desperdiçando tanto?

     

    - Pronto você me convenceu! Irei continuar com meus banhos maravilhosos, mas ficarei de olho no chuveiro e sempre irei desligá-lo quando não o estiver usando, gastar apenas o que for necessário, sempre!

     

    - Pois é, vamos usar da melhor forma possível a água. Desperdício?

     

    As duas responderam juntas:

     

    - JAMAIS!

     

    MINÉIA PACHECO

    www.mineiapacheco.com.br

    Nossa missão é transmitir valores através de contos infantis.

     




    Avatar









    27
    MAR

    O Circo Chegou! O bairro onde Olga mora está mais alegre, o circo acabava de chegar por lá e todas as crianças estavam eufóricas, todos queriam ir assistir às atrações do circo! - Estou muito curiosa para ver os truques incríveis que o mágico fará! – Falou Olga. - Gosto de ver o malabarista, acho incrí ...

    O Circo Chegou!

     

    O bairro onde Olga mora está mais alegre, o circo acabava de chegar por lá e todas as crianças estavam eufóricas, todos queriam ir assistir às atrações do circo!

     

    - Estou muito curiosa para ver os truques incríveis que o mágico fará! – Falou Olga.

     

    - Gosto de ver o malabarista, acho incrível a apresentação dele. – Falou Wilton.

     

    - E o equilibrista? Nossa, meu coração fica agitado ao vê-lo naquela corda, penso que ele pode cair a qualquer momento. – Falou Anne.

     

    - Pessoal não podemos esquecer o personagem principal do circo, aquele que todas as crianças amam e que rimos muito com suas apresentações, alguém sabe de quem estou falando? – Perguntou Wilton.

     

    - É o palhaço! – Falaram Anne e Olga ao mesmo tempo.

     

    - É maravilhoso ir ao circo, e estou muito feliz em ver que ele voltou ao nosso bairro. – Falou Olga.

     

    - Também estou muito feliz, pois além dessas apresentações incríveis que acontecem lá, também podemos comer uma pipoca bem quentinha. - Falou Wilton.

     

    - Comer uma deliciosa maçã do amor. - Falou Anne.

     

    - E claro que não podemos esquecer o algodão doce, pois gosto demais! – Falou Olga.

     

    - E então amigas... HOJE TEM ESPETÁCULO? –Perguntou Wilton.

     

    Então as amigas responderam:

     

    - TEM SIM SENHOR!

     

    MINÉIA PACHECO

    www.mineiapacheco.com.br

    Nossa missão é transmitir valores através de contos infantis.

     

     



    Avatar












  • 18
    OUT

    Zezé, um Palhacinho Esperto! O palhacinho Zezé era alegre e sempre vivia muito feliz. Amava fazer malabarismo e as crianças ficavam fascinadas com os truques de mágica que ele sempre realizava em suas apresentações. Esse palhacinho era muito especial, fazia de tudo um pouco para poder conseguir das crianças um largo sorriso, e seu objetivo ...

    Zezé, um Palhacinho Esperto!

     

    O palhacinho Zezé era alegre e sempre vivia muito feliz. Amava fazer malabarismo e as crianças ficavam fascinadas com os truques de mágica que ele sempre realizava em suas apresentações.

     

    Esse palhacinho era muito especial, fazia de tudo um pouco para poder conseguir das crianças um largo sorriso, e seu objetivo era sempre alcançado!

     

    Certa vez, Zezé foi a uma apresentação na casa de um garotinho chamado Rafael. Chegando lá, ele encontrou várias crianças super agitadas e já cansadas de tantas brincadeiras, então ele falou:

     

    - Sentem aqui crianças, vamos nos divertir com um pouco de mágica, malabarismo, e claro, com muita piada!

     

    As crianças saíram correndo em direção a Zezé e sentaram perto dele, menos Rafael, o aniversariante, ele não gostava de palhaços, achava-os muito chatos. Não queria palhaços em sua festa, mas sua mãe havia insistido muito até que ele consentiu. Mas avisou a mãe que não iria participar de nada que ele fizesse.

     

    O palhaço Zezé já estava sabendo de tudo, a mãe de Rafael já havia lhe contado. Não insistiu para que Rafael se juntasse a turma e começou a realizar as atividades com as demais crianças. Zezé fez de tudo um pouco, contou piadas, fez mágicas, muitas mágicas, e as crianças riam muito...

     

    Vez ou outra Rafael olhava para saber do que eles tanto riam se os palhaços não tinham graça nenhuma. E voltava a brincar sozinho.

     

    E as crianças falavam:

     

    - Nossa como você é engraçado! Vou falar com minha mãe pra te chamar no dia do meu aniversário.

     

    E as outras falavam:

     

    - Eu também!

     

    - Eu também!

     

    E Rafael não aguentou e foi sentar próximo das demais crianças. Pensando:

     

    - O que esse palhaço realmente tem de bom?

     

    Ao perceber a presença do aniversariante, Zezé caprichou, fez uma bela mágica, malabarismo e deixou a sua melhor piada para o fim. Ao terminar, todas as crianças estavam rindo muito, quando ele olhou para Rafael, qual não foi sua surpresa, ele o viu rindo muito, rindo demais!

     

    E foi a partir daí que as apresentações de Zezé realmente começaram, pois seu objetivo havia sido alcançado, ele tinha feito Rafael sorrir... E ele não parou mais, pois a cada piada, a cada mágica, o garoto ria mais!

     

    A mãe de Rafael não acreditou no que via, e quando as apresentações terminaram, foi conversar com Zezé para saber qual era o mistério, qual foi o segredo para que ele tivesse feito com que Rafael assistisse as suas apresentações.

     

    E Zezé falou:

     

    - O segredo foi deixá-lo livre... Não cobrei nada dele e nem o forcei a me assistir. E por ele estar livre, sentiu curiosidade e vontade de sentar junto aos demais colegas, assistiu e gostou muito de tudo. O que devemos ter sempre é muita paciência com nossas crianças, quando se tem paciência conseguimos TUDO!

     

    - E realmente você conseguiu.

     

    A festa estava terminando e o palhacinho Zezé despediu-se de todos e foi embora. Rafael olhou para sua mãe e falou:

     

    - Mamãe, próximo ano quero o palhaço Zezé aqui de novo, pode ser? Ele é bom demais...

     

    - Claro que pode filho!

     

    MINÉIA PACHECO

    www.mineiapacheco.com.br

    Nossa missão é transmitir valores através de contos infantis.

     




    Avatar









    22
    MAI

    O Último Pingo de Água da Terra! José desperdiçava muita água com bobagens. Ele não dava importância ao real valor que ela possuía em sua vida. Seus filhos sempre falavam: - Papai, não desperdice tanta água, será que o senhor não vê nos jornais e na televisão que devemos economizá-la? - N&atil ...

    O Último Pingo de Água da Terra!

     

    José desperdiçava muita água com bobagens. Ele não dava importância ao real valor que ela possuía em sua vida. Seus filhos sempre falavam:

     

    - Papai, não desperdice tanta água, será que o senhor não vê nos jornais e na televisão que devemos economizá-la?

     

    - Não se preocupem filhos, quem paga a conta sou eu, então posso gastar o quanto quiser!

     

    - Nós não estamos falando das contas, e sim do desperdício! Se o senhor continuar a gastá-la desse jeito, daqui a alguns anos não terá mais água no mundo!

     

    - Meus filhos, vocês não têm nem noção do tamanho do mundo! como eu, sozinho, posso gastar toda a água que existe nele? Não se preocupem, o pai de vocês sabe o que está fazendo!

     

    As crianças ficaram muito preocupadas com esse tipo de pensamento do pai, pois na escola onde estudavam a todo momento os professores falavam que deveríamos cuidar muito bem do nosso planeta, não desperdiçando água, não destruindo árvores, entre outras coisas que agridem nosso planeta e o próprio pai não estava agindo corretamente, e isso não podia continuar!

     

    - Papai, o que o senhor faria se só existisse um pingo de água em toda a terra?

     

    - Crianças, por favor, deixem-me lavar o carro em paz. Já falei para vocês que sei o que estou fazendo, gastar um pouco de água não vai fazer mal algum!

     

    As crianças já desanimadas foram para seus quartos, tristes, por saberem que o próprio pai não dava o mínimo valor a esse bem tão precioso que temos, a água!

     

    Quando as crianças saíram José ficou pensando na pergunta deles:

     

    - O que eu faria se só existisse um pingo de água em toda a terra? (Pensou) Mais que bobagem, é claro que isso NUNCA irá acontecer, então não irei perder meu tempo pensando em alguma resposta!

     

    Então ele continuou a lavar o carro, depois de um tempo colocou a mangueira no chão jorrando água e foi até a sala ver o que estava passando na televisão, sentou no sofá e acabou adormecendo. E a água continuou sendo desperdiçada pelo jardim da casa.

     

    De repente o Pai acorda e vai até o jardim, ao chegar percebe que a mangueira não estava ligada e pensou:

     

    - Acho que as crianças me viram dormindo e vieram aqui desligar a torneira. Não sei por quê tanta preocupação, até parece que são eles que pagam a conta!

     

    Então foi até a torneira para ligá-la novamente, precisava terminar de lavar o carro, porém, ao tentar ligar, nada de água saindo da torneira, pensou que tivesse faltado água e foi até a sala terminar de assistir ao jogo enquanto a água não voltava, ao chegar à sala, percebeu que seus filhos e sua esposa estavam abismados na frente da televisão, se aproximou para saber o que tanto chamava a atenção deles e viu que estava passando um plantão jornalístico e a repórter falava:

     

    - Urgente! Está faltando água no mundo inteiro. As pessoas estão desesperadas!  Os cientistas acabaram de confirmar, a água do mundo acabou e o que resta é apenas um PINGO!

     

    O Pai não acreditou no que ouviu e pensou:

     

    - Como toda água do mundo poderia acabar assim, de uma hora para outra?

     

    E a repórter continuou a falar na televisão:

     

    - Esse é o resultado da falta de compreensão de muitas pessoas que desperdiçavam muita água e não acreditavam que um dia ela iria acabar. Agora vamos todos ter que sofrer as consequências!

     

    Seus filhos e sua esposa começaram a chorar e falaram:

     

    - Tudo foi culpa sua... Tudo culpa sua!

     

    Ele começou a chorar também pedindo desculpas, dizendo que se tivesse outra chance, não iria mais desperdiçar tanta água como antes, e no meio das lágrimas, ele acordou! Tudo não passou de um sonho, de um triste sonho! Sua reação ao acordar foi de correr e desligar a mangueira. Foi ao quarto de seus filhos os abraçou e falou:

     

    - Queridos filhos, obrigado por tentarem abrir meus olhos e podem ter certeza de que agora em diante irei economizar o máximo de água possível. No que depender de mim nunca terá na terra um ÚLTIMO PINGO DE ÁGUA!

     

    E os filhos de José ficaram felizes e orgulhosos do pai, pois agora ele estava percebendo a importância da água em suas vidas!

     

    ((Crianças devemos SEMPRE economizar água, usar somente o necessário!))

     

    MINÉIA PACHECO

    www.mineiapacheco.com.br

    Nossa missão é transmitir valores através de contos infantis.




    Avatar









    30
    ABR

    Pipoca, um Alegre Palhacinho! Pipoca era o nome desse engraçado palhacinho. Gostava muito de sorrir e brincar com as crianças que encontrava por onde passava. Vivia sempre alegre e amava ir às festas infantis, pois eram sempre uma grande folia. Ao chegar a mais uma festa, percebeu que a maioria das crianças já havia chegado, preparou-se rapidamente para mais um ...

    Pipoca, um Alegre Palhacinho!

     

    Pipoca era o nome desse engraçado palhacinho. Gostava muito de sorrir e brincar com as crianças que encontrava por onde passava. Vivia sempre alegre e amava ir às festas infantis, pois eram sempre uma grande folia. Ao chegar a mais uma festa, percebeu que a maioria das crianças já havia chegado, preparou-se rapidamente para mais um dia de muita alegria!

     

    - Crianças queridas do meu coração, quero lhes dar um abraço e um aperto de mão!

     

    Cumprimentava cada criança da festa. Voltava ao seu posto e continuava com suas apresentações: fazendo mágicas, piruetas e contando piadas. As crianças, já cansadas de tanto rir, ficavam cada vez mais admiradas olhando aquela figura engraçada, mas o alegre palhacinho não queria saber de cansaço e, por isso, não dava trégua!

     

    - Crianças, alegrem-se! Hoje é dia de muita brincadeira, não quero ver ninguém parado, vamos agora dançar. Ninguém pode ficar parado, levantem-se, pois a música já vai começar!

     

    E todas as crianças dançavam alegremente, a alegria naquela festa estava longe de acabar.

     

    Já estava muito tarde quando a festa enfim terminou. Pipoca voltou para casa mais alegre do que nunca. Tinha sido um dia de muito trabalho e divertimento, pois para ele, trabalhar com crianças era sempre muito gratificante. Ao chegar em casa, seu filho alegremente veio abraçá-lo e juntos começaram a brincar. Brincaram muito e no meio de tanta brincadeira seu filho lhe perguntou:

     

    - Papai, você não está cansado? Passou o dia todo trabalhando e está brincando agora comigo, quer ir descansar?

     

    E o palhacinho Pipoca respondeu:

     

    - Filho, meu trabalho é um divertimento, porque trabalho com AMOR, quando fazemos algo com AMOR tudo se torna fácil e prazeroso. Gosto muito de trabalhar com crianças, levando um pouco mais de alegria para a vidinha delas.  Mas vou te contar um segredo...

     

    - O que papai? (perguntou o filho)

     

    - Amo muito meu trabalho, porém minha maior alegria é poder chegar em casa e brincar com VOCÊ meu filho, de todas as alegrias que tenho em minha vida, você é a maior delas. Para você nunca estarei cansado!

     

    - Obrigado papai!

     

    Ambos abraçaram-se e voltaram a brincar, pois para o alegre palhacinho Pipoca tudo era motivo de alegria, tudo era festa!

     

    ((Crianças, tudo que fizerem façam com Amor. Pois quando fazemos algo com amor, tudo se torna mais fácil e sempre dará certo!))

     

    MINÉIA PACHECO

    www.mineiapacheco.com.br

    Nossa missão é transmitir valores através de contos infantis.




    Avatar
















    Copiar essas ideias sem a permissão do autor é crime, pois isso configura uma forma de roubo e roubar ideias é plágio, e plágio é crime. Art. 184 – Código Penal

    © Copyright 2017 - Minéia pacheco. Todos os direitos reservados. O conteúdo deste site não pode ser reproduzido, distribuído, transmitido, ou usado, exceto com a permissão prévia por escritor.