• 31
    OUT

      Toda noite de 31 de outubro os amigos Jéssica e Ronaldo se fantasiam para saírem pelas ruas atrás de doces... Mas o que eles gostavam mesmo de fazer era assustar as outras crianças. Era o maior divertimento para eles ver as crianças saírem correndo de medo e gritando: - Socorro!!! Eles riam até não aguentar mais! Todos já h ...


     
    Toda noite de 31 de outubro os amigos Jéssica e Ronaldo se fantasiam para saírem pelas ruas atrás de doces... Mas o que eles gostavam mesmo de fazer era assustar as outras crianças. Era o maior divertimento para eles ver as crianças saírem correndo de medo e gritando:

    - Socorro!!!

    Eles riam até não aguentar mais!

    Todos já haviam falado que isso não era legal, que a noite de halloween deveria ser divertida e não assustadora, mas eles não se importavam e continuavam a assustar.

    Mas, naquela noite algo diferente aconteceu, enquanto Jéssica e Ronaldo se preparavam para assustar mais uma criança que estava próxima deles, eles ouviram alguém os chamar:

    - Jéssica, Ronaldo...

    Eles olharam para os lados, mas não viram ninguém!

    E mais uma vez...

    - Jéssica, Ronaldo...

    - Quem está nos chamando? – Gritou Ronaldo.

    - Sou eu, a abóbora!

    Eles olharam para o chão e viram uma enorme abóbora olhando para eles... Ficaram com muito medo e tremendo perguntaram:

    - O que você quer conosco?

    - Quero levá-los ao meu mundo, o mundo das abóboras, onde o medo reina!

    - Mas, mas, mas... Por que a senhora quer nos levar? – Jéssica perguntou tremendo de medo.

    - Quero levá-los porque vocês gostam muito de assustar as crianças!

    - Mas não queremos ir! – Falou Ronaldo.

    - É claro que querem, vocês vivem assustando as crianças aqui e achando graça disso tudo, lá vocês também continuarão assustando muito. Mas nunca mais voltarão!

    - Não, não... Por favor, nos deixe em paz! Nunca mais iremos assustar nenhuma criança por aqui! – Eles falaram.

    - Agora é tarde, tenho que levar vocês IMEDIATAMENTE!

    E a abóbora foi andando para pegar Jéssica e Ronaldo, eles tremiam cada vez mais, fecharam os olhos e se abraçaram desesperados.

    - Por favor... Deixe-nos em paz! – Eles gritaram.

    Após alguns minutos não ouviram mais a abóbora, abriram os olhos e viram todas as crianças da rua olhando para eles e rindo muito do medo que eles estavam da abóbora de brincadeira.

    - Como vocês são bobos de terem medo de uma abóbora de brincadeira! Mas espero que tenham aprendido a lição... A noite de halloween deve ser divertida e não assustadora, entenderam? - Falaram as crianças.

    - Entendemos sim! – Falaram Jéssica e Ronaldo.

    E depois de tudo esclarecido eles correram para suas casas, aquela noite de 31 de outubro para eles já tinha terminado e nunca mais iriam assustar ninguém, pois não gostaram nem um pouco da brincadeira de muito mau gosto dos amigos, mas quem mandou eles assustarem os outros também?


    Autora Minéia Pacheco



    Avatar





    • Oi Mineia! Minha filha adorou seu texto e vai usar o conto "Uma noite assustadora!" num trabalho sobre contos assustadores na escola! Muito obrigada!

      RESPOSTA





    • Lia,

      Enviei o conto pedido para seu e-mail.
      Espero que tenha chegado!

      Agradeço a visita ao blog, volte sempre!

      RESPOSTA





    • Olá Minéia,
      Adorei suas histórias e gostaria de contar aos meus alunos, como posso conseguir?
      meu e-mail é liabasilestopa@gmail.com

      desde já agradeço atença e parabenizo o trabalho

      abraços
      lia

      RESPOSTA





    • OI MInéia,
      voltei aqui para contar a história do Gruner para a Sofia e vou ler essa também. Ela ama as suas historinhas.
      beijos
      Chris
      http://inventandocomamamae.blogspot.com/

      RESPOSTA





    • Oi, gostei muito do seu blog, PARABÉNS!!
      Suas histórias são muito boas. Sou contadora de histórias e, se vc me autorizar vou procurar alguma sua para contar. bjs

      RESPOSTA





    • Oi Minéia, vim agradecer a visita!!!
      Bjs do neno

      RESPOSTA





    • Mineia,eu adoro suas historias!Muito engraçada essa abóbora falante!...rss...mande alguma historia sua por email pra eu postar no Recanto!Bjs,

      RESPOSTA





    • Oi,Minéia!
      Que história genial, do jeitinho que as crianças amam! Gosto muito do seu espaço, cheio de criatividade, alegria e muita ternura. Sempre que posso, venho fazer uma visitinha para conferir as novidades. Falei do blog para meus filhos e eles agora estão querendo que eu compre o livro "Histórias para criança ler, ouvir e sonhar". Aqui em casa todo mundo é fascinado por livros...rs.
      Quando puder, gostaria muito que visitasse meus cantinhos. Ficarei feliz com sua doce presença :
      nospassosdejesusamor.blogspot.com
      docessonhosdepapel.blogspot.com
      Que Deus a abençoe sempre!
      Abraços, com carinho,
      Angela

      RESPOSTA





    • Bem feito pra Jéssica e pro Ronaldo!
      Rs
      Beijos
      Monalise
      http://omundodamona.blogspot.com/

      RESPOSTA





    • boa tarde Minéia!
      Suas estórias além de ser muito divertidas ensinam muito.
      Adorei a bela lição que os dois receberam.
      abração com carinho

      RESPOSTA





    • Oi Minéia,adorei a historia!!!!!
      Que bom que Jéssica e Ronaldo aprenderam a lição!!!!
      Bjs do Neno

      RESPOSTA





    • Que linda história e belo final...As crianças devem aprender...beijos,tudo de bom,chica

      RESPOSTA





    • Muito bom! li para meu filho Joao e esse tem um medo também! Beijos

      RESPOSTA









    31
    AGO

    Juquinha tinha saído com sua família para comer uma deliciosa pizza, vizinho ao seu bairro, em comemoração ao seu aniversário. Chegando ao restaurante, fizeram o pedido e enquanto aguardavam a pizza chegar Juquinha resolveu dar uma voltinha pelo bairro.   - Não vá muito longe filho, já a pizza chega. – Falou o pai. &nbs ...




    Juquinha tinha saído com sua família para comer uma deliciosa pizza, vizinho ao seu bairro, em comemoração ao seu aniversário. Chegando ao restaurante, fizeram o pedido e enquanto aguardavam a pizza chegar Juquinha resolveu dar uma voltinha pelo bairro.
     
    - Não vá muito longe filho, já a pizza chega. – Falou o pai.
     
    - Não irei longe papai, ficarei aqui por perto mesmo.
     
    Juquinha foi andando, andando, e percebeu que alguém lhe seguia, pensava que era seu pai, mas quando olhou para trás não viu ninguém.
     
    - Senti alguém me seguindo, que estranho! – Ele falou.
     
    Então resolveu voltar, ao andar de volta percebeu alguém escondido atrás de uma lata de lixo, como Juquinha era muito curioso resolveu ver quem era, mas quando viram que Juquinha se aproximava, esse alguém misterioso correu, e Juquinha também correu atrás dele.
     
    - Ei, volte aqui, não irei te fazer mal, não precisa ter medo!
     
    Quando Juquinha deu por si, se viu em um lugar totalmente estranho e misterioso.
     
    - Onde estou? – Ele se perguntou.
     
    A criatura que Juquinha seguia havia sumido... Ele correu tanto que acabou se perdendo, e agora? Como ele iria voltar para casa?
     
    Onde Juquinha tinha ido parar?
     
    Ele continuou andando, viu casas enormes, morcegos por toda a parte e a escuridão o impedia de ver onde estava pisando...
     
    - Onde vim parar?!
     
     Juquinha não era de sentir medo, mas naquele momento começava a ter!
     
    - Estou ouvindo uns uivos. Será que existem lobos selvagens aqui? Ai,ai...
     
    Ele tremia muito, mas continuou andando.
     
    - Vou andar até encontrar uma saída. Tem que haver uma saída!
     
    Mas, de repente, Juquinha sentiu alguém puxando sua mão, era o misterioso que ele havia seguido. Ele estava com uma capa preta e o rosto todo coberto.
     
    - Para onde você está me levando... Largue-me! Largue-me!
     
    Mas o misterioso não se importou com os gritos de Juquinha e continuou puxando-o até chegarem a um dos castelos.
     
    - O que você quer de mim? – Juquinha perguntou.
     
    Mas o misterioso nada respondeu, abriu a porta de um dos castelos e empurrou Juquinha para dentro, ele não conseguia ver nada, estava tudo escuro demais. Ele queria gritar, mas não tinha mais forças, estava com muito, mas muito medo mesmo.
     
    Quando, de repente, o misterioso liga a luz e todos gritam:
     
    -Surpresa!!!
     
    Estavam todos lá, seus pais, amigos, familiares... Era uma festa surpresa de aniversário.
    Juquinha não acreditava no que via... Era tudo armação da sua família.
     
    E o ser misterioso era seu pai, que chegou perto dele, tirou a capa preta e falou:
     
    - E então filho, gostou da surpresa? Você havia nos falado há algum tempo que gostava muito de suspense e queria muito ter uma festa misteriosa.
     
     Juquinha ainda estava meio confuso com tudo aquilo e falou:
     
    - Falei foi??
     
    - Falou sim... – A mãe respondeu.
     
    - Tudo bem. - Ele respondeu. Mas nunca mais quero saber de festa misteriosa, combinado? Nunca senti tanto medo em minha vida!
     
    Os convidados começaram a rir e então começaram a cantar os parabéns para Juquinha, que ainda estava meio confuso, mas muito feliz!
     
    E pensou:
     
    - Ainda bem que era tudo armação da minha família, mas com tudo isso aprendi uma grande lição NUNCA MAIS SEGUIREI NINGUÉM ESTRANHO... Nunca se sabe o que vai acontecer!
     
     

    Autora Minéia Pacheco


     

     




    Avatar
















    Copiar essas ideias sem a permissão do autor é crime, pois isso configura uma forma de roubo e roubar ideias é plágio, e plágio é crime. Art. 184 – Código Penal

    © Copyright 2017 - Minéia pacheco. Todos os direitos reservados. O conteúdo deste site não pode ser reproduzido, distribuído, transmitido, ou usado, exceto com a permissão prévia por escritor.