• 01
    NOV

    SEU RATÃO E DONA RATINHA!.


     

    Lá na cidade grande, entre prédios enormes, carros passam pelas ruas apressadamente, as pessoas não andam, elas correm pelas ruas; nesta cidade nada pacata, viviam Seu Ratão e Dona Ratinha, um casal de ratinhos que nunca se adaptaram aos movimentos e as loucuras da cidade grande.

     

    - Ratão meu querido, não aguento mais as loucuras dessa cidade, não aguento mais ouvir tanto barulho das buzinas dos carros, das pessoas falando; não quero mais viver na cidade grande. Como vamos criar nossos filhinhos aqui nesta loucura?

     

    - Ouwn Ratinha, minha querida, não aguento mais também. Não é um ambiente assim que desejo criar nossos filhinhos.

     

     - Vamos embora ratão, vamos arrumar nossas malas e partir para viver no sítio, na cidade pequena, onde moram nossos primos. Vamos?

     

    - Mas ratinha, o caminho até lá é tão perigoso, precisaremos andar por essas ruas da cidade grande, e para nós que somos ratinhos tão pequeninos, é bem provável que não consigamos sobreviver e chegarmos vivos ao sítio.

     

    - Lá vem você e seus medos bobos! Se nós não estamos satisfeitos em morar nesta cidade tão grande, tão barulhenta e tão perigosa, o que nos impede de seguirmos viajem e irmos morar em um lugar tranquilo, cheio de paz, onde poderemos ter nossos ratinhos para que eles cresçam em um lugar seguro e tranquilo?

     

    - Eu tenho medo, muito medo de ser devorado por algum gato, de ser pego por alguma ratoeira...

     

    - Não, não, Ratão. Não precisa ter medo de nada! Juntos conseguiremos, vamos agora mesmo organizar nossa mudança, pois em alguns dias chegaremos no sítio.

     

    - Mas Ratinha...

     

    - Está decidido, vamos embora agora!

     

    Seu Ratão, mesmo com tanto medo em seguir viagem, apoiou a decisão da Dona Ratinha e foi ajudá-la a organizar a mudança. Passaram a noite embalando tudo, e no dia seguinte, bem cedinho, seguiram viagem...

     

    - Ratinha, você está certa disso? Não está nem um pouquinho com medo?

     

    - Não Ratão, não tenho medo, estamos juntos, temos que enfrentar nossos medos para conseguir alcançar o que tanto desejamos.

     

    - Você está certa minha Ratinha, sou o Ratão mais feliz do mundo por ter uma esposa como você.

     

    Deram um beijinho e seguiram para a estação de trem...

     

    Eram tantas pessoas nas ruas, tantos carros, tantas buzinas e toques de celulares que Seu Ratão e Dona Ratinha quase enlouqueceram, tentaram cortar caminho e entraram em uma ruazinha estreita e escura, mas silenciosa.

     

    - Ufa! Enfim um pouco de tranquilidade! (Falou dona Ratinha)

     

    Continuaram andando pela rua estreita e escura, e observaram alguns pontos de luz, foram andando, até que perceberam que aqueles pontos de luz eram os olhos de alguns gatos que brilhavam no escuro. Dona Ratinha ficou bastante assustada e não conseguia mais andar, Seu Ratão vendo-a com tanto medo, precisou ser forte, pegou na mão da Dona Ratinha e continuou andando...

     

    - Olhem bem o que temos aqui, hoje não passaremos fome! – Falou um dos gatos.

     

    Seu Ratão e Dona Ratinha tremiam com tanto medo.

     

    - Devem ser uma delícia, humm! – Falou o outro gato.

     

    Seu Ratão e Dona Ratinha não sabiam o que fazer, será que aquele seria o fim deles?

     

    Então eles se abraçaram e começaram a chorar, os gatos avançaram sobre eles e acabaram batendo a cabeça um no outro e caindo desmaiados no chão. Seu Ratão e Dona Ratinha não acreditaram no que tinha acontecido, mas antes que os gatos acordassem do desmaio eles resolveram correr, correram o mais rápido que puderam, até que enfim, chegaram à estação e conseguiram subir no trem que já estava de partida.

     

    Lá, já sentados, começaram a pensar no que tinha acontecido e riram muito, que sorte a deles! Os gatos que apareceram pelo caminho eram muito atrapalhados.

     

    - Que aventura acabamos de viver minha Ratinha.

     

    - Nem me fale Ratão, nunca tive tanto medo na vida.

     

    - Também tive muito medo, mas vencemos e estamos vivos, viva!

     

    Cansados de tantas aventuras, dormiram. Quando acordaram já haviam chegado ao sítio.

     

    - Nossa! Que lugar lindo, tranquilo e cheio de paz. – Falou Dona Ratinha.

     

    - Lindo mesmo, estou tão feliz, tão feliz!

     

    Seu Ratão e Dona Ratinha começaram a dançar, a cantar e a rirem muito, pois a felicidade deles era muito barulhenta.

     

    - Ah, minha Ratinha o que seria de mim sem seus incentivos, nunca conseguiria viver coisas novas, com tantos medos que existiam em mim.

     

    - Ah, meu Ratão! eu também tive muitos medos, mas a vontade de mudar foi maior que eles. E hoje estamos aqui, no lugar que sempre sonhamos estar, com lindas aventuras vividas e muitas histórias para contar.

     

    O tempo passou, Seu Ratão e Dona Ratinha logo se adaptaram a pequena cidade, o sítio era um lugar maravilhoso e logo tiveram muitos filhinhos que nasceram em um lugar silencioso, tranquilo e calmo. E a história que os filhinhos mais gostavam de ouvir os papais contarem, era a de dois ratinhos pequeninos, medrosos, que estavam tão decididos a viverem em um lugar diferente que enfrentaram até dois gatos gigantes, pois quando se quer realmente conquistar algo, não existe medo que seja maior do que o desejo verdadeiro!

     

    MINÉIA PACHECO

    www.mineiapacheco.com.br

    Nossa missão é transmitir valores através de contos infantis.







    Copiar essas ideias sem a permissão do autor é crime, pois isso configura uma forma de roubo e roubar ideias é plágio, e plágio é crime. Art. 184 – Código Penal

    © Copyright 2017 - Minéia pacheco. Todos os direitos reservados. O conteúdo deste site não pode ser reproduzido, distribuído, transmitido, ou usado, exceto com a permissão prévia por escritor.